Seis países vetam carne brasileira após casos de vaca louca

Casos são totalmente atípicos, de acordo com o Ministério da Agricultura, mas estão prejudicando os exportadores brasileiros

0
498
Casos de vaca louca são atípicos e estão prejudicando as exportações brasileiras (Foto: Ministério da Agricultura)
Casos de vaca louca são atípicos e estão prejudicando as exportações brasileiras (Foto: Ministério da Agricultura)

DA REDAÇÃO – Dois casos atípicos de mal da vaca louca registrados em Minas Gerais e Mato Grosso estão trazendo grandes prejuízos para exportadores de carne bovina brasileiros. Pelo menos seis países, segundo levantamento feito pelo setor, vetaram a carne brasileira. As informações são da Globo Rural.

As informações, não divulgadas oficialmente, apontam bloqueios nos embarques para Rússia, Indonésia, Irã e Egito – além de China e Arábia Saudita, já confirmados pelo governo brasileiro.

Segundo o documento, as suspensões entraram em vigor entre os dias 4 (Irã) e 15 de setembro (Rússia) e abrangem todos os frigoríficos de Minas Gerais e Mato Grosso, sendo a única exceção a Arábia Saudita, que suspendeu apenas cinco frigoríficos mineiros.

Ainda de acordo com o documento, os sauditas teriam encerrado o bloqueio na quarta-feira (15/9). O Ministério da Agricultura, contudo, nega. Juntos, os seis países responderam por 57,3% das exportações brasileiras de carne bovina em 2020.

Diferentemente do caso clássico, que ocorre quando os animais consomem produtos de origem animal, o caso atípico ocorre naturalmente em bovinos de idade avançada, tal como o Mal de Alzheimer em humanos.

É por esse motivo, por exemplo, que a China exige que a carne seja de animais com até 30 meses. Os protocolos sanitários com o país também determinam a suspensão automática das exportações até que as autoridades sanitárias analisem os documentos enviados pelo Brasil.