Superintendente das escolas públicas de Broward é preso acusado de perjúrio

Robert Runcie, que está no cargo desde 2011, está sendo acusado de mentir em depoimento ao grande júri sobre possíveis desvios de recursos da segurança escolar

0
940
Superintendente da Broward County Public Schools, Robert Runcie (foto: Broward County Sheriff's Office)
Superintendente da Broward County Public Schools, Robert Runcie (foto: Broward County Sheriff's Office)

O superintendente da Broward County Public Schools (BCPS), Robert Runcie, foi preso na manhã desta quarta-feira (21), acusado de mentir em um processo oficial,- crime caracterizado como perjúrio. A conselheira-geral do Broward County School Board, Barbara Myrick, também foi presa.

Runcie, 59, foi levado sob custódia pelo Florida Department of Law Enforcement (FDLE) e liberado em seguida após pagar fiança.

Segundo a acusação, o superintendente mentiu enquanto testemunhava sob juramento a um grande júri instituído pela Suprema Corte da Flórida para investigar possíveis falhas na administração de recursos destinados ao sistema escolar do condado. 

Especificamente, o júri estava investigando se os funcionários do BCPS cometeram fraude e ou desvio de fundos multimilionários obtidos para fortalecer as medidas de segurança das escolas.

Myrick, 72, foi acusada de divulgar ilegalmente os procedimentos do grande júri, que não são abertos ao público e devem ser mantidos em sigilo. Ela também foi liberada.

Runcie está no cargo de superintendente do BCPS desde 2011, tendo enfrentado várias críticas de pais de alunos na época do tiroteio em massa da Marjory Stoneman High em Parkland, de 14 de fevereiro de 2018 que resultou na morte de 17 alunos e membros do corpo docente. Ele ainda não se pronunciou sobre os eventos desta quarta-feira.