Superintendente de Educação de Miami defende mudança de horário escolar

Segundo Carvalho, “dormir bem é essencial para o aprendizado”. Além disso, ele acrescentou, há uma conexão importante entre a falta de sono e a obesidade

0
845
superintendente de educação do Condado de Miami Dade, Alberto Carvalho
superintendente de educação do Condado de Miami Dade, Alberto Carvalho

Ao que tudo indica, a proposta de mudança de horário nas escolas públicas de Miami-Dade vai se transformar em realidade no ano letivo de 2020/2021, ou seja, a partir de agosto do ano que vem. Pelo menos esta é a intenção do superintendente de educação do Condado, Alberto Carvalho. Ele afirmou, através das mídias sociais, que o distrito está reunindo informações sobre as vantagens desta iniciativa e deve iniciar em breve um debate com a comunidade para saber a opinião daqueles que seriam os mais impactados pela mudança: os alunos e seus pais e responsáveis.

“Reunimos informações importantes e estamos levando em consideração evidências científicas, bem como feedback de grupos de discussão (focus groups)”, afirmou Carvalho. O projeto será submetido à votação em maio e, se for aprovado, começará a ser aplicado período acadêmico seguinte. A ideia é que nenhum estudante do Condado tenha que chegar à escola antes de 8am e isso afetaria, especialmente, os alunos de Ensino Médio (High School), cujo horário de entrada é normalmente às 7:20am.

Segundo Carvalho, “dormir bem é essencial para o aprendizado”. Além disso, ele acrescentou, há uma conexão importante entre a falta de sono e a obesidade. “É por isso que estamos considerando a programação do dia escolar, para beneficiar crianças e pais também”, justificou o superintendente. O horário de saída também seria alterado, mas tudo dependeria da decisão do conselho escolar.

No entanto, após o anúncio da proposta, muitos pais se manifestaram de forma contrária, também pelas redes sociais. “Eles tinham que se concentrar em não passar tanta lição de casa”, afirmou Laura Cristina. Da mesma forma, Hazel Fernandez disse que o atual horário e carga de trabalho “não deixam tempo para as crianças brincarem depois da escola.

A verdade é que este é um debate que ganha força em todo o país. Na Califórnia, por exemplo, o governador Gavin Newsom assinou uma lei (a primeira no país) obrigando as escolas a começarem suas atividades mais tarde – 8:30am – a partir de 2022.