Suspeito de esquartejar família de brasileiros na Espanha se entrega à polícia

Jovem é suspeito de matar os tios e dois primos há um mês no país; corpos foram encontrados em sacos plásticos

0
7034
Patrick foi preso ao desembarcar na Espanha
Patrick foi preso ao desembarcar na Espanha

O brasileiro François Patrick Gouveia, de 19 anos, suspeito de assassinar e esquartejar o tio, a esposa deste e os dois filhos do casal na Espanha, se entregou à polícia da Espanha na manhã de  quarta-feira (19). De acordo com a defesa, Patrick saiu de João Pessoa (PB) na noite de terça-feira (18), e foi preso assim que desembarcou no aeroporto de Adolfo Suárez-Madrid Barajas, em Madri. As informações são do G1.

Os corpos do casal e das duas crianças foram encontrados esquartejados no dia 18 de setembro, na casa onde eles moravam, a cerca de 60 km de Madri. Os investigadores calculam que os corpos se encontravam na casa há cerca de um mês.

As autoridades foram alertadas por um vizinho “que percebeu o odor” procedente da residência, segundo a polícia. De acordo com a imprensa espanhola, os corpos esquartejados foram achados em bolsas de plástico fechadas com uma fita adesiva.

Os agentes não encontraram sinais de que os assassinos tenham forçado a entrada na casa da família. “A entrada não foi forçada, nem qualquer tipo de janela, porta, nada”, indicou o porta-voz da Guarda Civil. Vários vizinhos entrevistados indicaram que a família alugava a casa e que foram pouco vistos desde que se mudaram para lá no final de julho.

As suspeitas recaíram sobre Patrick porque ele tinha antecedentes criminais e comportamento considerado “estranho” pelos parentes, tendo voltado ao Brasil assim que a polícia descobriu os corpos. Em 2013, François Patrick foi apreendido aos 16 anos por esfaquear um professor em sala de aula no estado do Pará e cumpriu 45 dias de medida socioeducativa. Em março deste ano, se mudou para a Europa para tentar a vida como jogador de futebol e foi morar com a família do tio na cidade de Torrejón, onde ficou por quatro meses.

Palavra do advogado

Segundo o advogado de Patrick, Eduardo Cavalcanti, o jovem comprou a passagem e saiu da capital paraibana em um voo convencional, com escalas em Recife e São Paulo. Ele resolveu se entregar após acertar um acordo com a polícia espanhola. “Como ele não tinha nenhum mandado de prisão no Brasil, ele não precisou viajar com a polícia, e foi sozinho”, explicou Eduardo. O voo saiu de São Paulo às 10pm e pousou na Espanha no início da manhã de quarta-feira.

“Quando eu voltei da Espanha, conversei com a família e com ele, relatando o que eu vi do processo lá. Ele entendeu que seria melhor voltar para a Espanha e responder ao processo lá do que esperar abrir um aqui no Brasil. Inclusive, ele destaca que resolveu voltar para lá justamente para ver que ele não estava foragido, como as pessoas falavam”, disse Eduardo de Araújo.

De acordo com uma nota publicada no site oficial da Guarda Civil espanhola, Patrick foi levado para o comando da Guarda Civil de Guadalajara, onde vai aguardar para ser entregue à Justiça do país.

Ordem de prisão

A Justiça espanhola tinha emitido uma ordem de prisão europeia e internacional contra François Patrick Gouveia, e até então o suspeito ainda não havia recebido nenhuma notificação sobre o mandado de prisão no Brasil. De acordo com Eduardo Cavalcanti, advogado da família de Patrick, ele prestou depoimento à Polícia Federal no dia 30 de setembro.

Fontes da investigação informaram à agência EFE que Patrick, que é sobrinho de Marcos Campos Nogueira, pai da da família assassinada, decidiu se entregar após conversas entre os investigadores espanhóis e seu advogado, que esteve na Espanha na semana passada.

O advogado afirmou também que Patrick “nega veemente a autoria do crime”.