Taça Libertadores da América em tempo de definição

0
256
Diego Costa sofreu uma lesão muscular e poder ser desfalque do Galo no jogo contra o Palmeiras (Foto: Agência Brasil/EBC)
Diego Costa sofreu uma lesão muscular e poder ser desfalque do Galo no jogo contra o Palmeiras (Foto: Agência Brasil/EBC)

Decorridas as duas partidas de ida da Taça Libertadores da América 2021, o Flamengo desponta como provável finalista enquanto Atlético-MG e Palmeiras disputam a vaga nesta terça-feira (28) em Belo Horizonte, com leve favoritismo para o time da casa.

O jogo entre o Verdão, atual campeão da Libertadores e vice-líder do Brasileirão, e o Galo, atual líder do Campeonato Brasileiro e semifinalista na Libertadores e na Copa do Brasil, prometia ser um duelo de gigantes. Entretanto, o que se viu no gramado do Allianz Parque foi o que se poderia chamar de anticlímax. 

O Palmeiras entrou em campo reconhecendo a superioridade atleticana e o técnico Abel Ferreira montou um sistema de jogo no qual a prioridade seria não sofrer gol. Pode-se dizer que seu objetivo foi alcançado, e contou ainda com a sorte porque no final do primeiro tempo Gustavo Gómez cometeu um pênalti desnecessário em Diego Costa, porém, Hulk desperdiçou a única chance real de gol da partida ao chutar a bola no pé da trave esquerda do goleiro Weverton, que já estava completamente batido no lance.

Apesar de dominar as ações, o time visitante não conseguiu criar mais nenhuma oportunidade a não ser alguns chutes de longa distância de Hulk e de Guilherme Arana. Aliás, a marcação sobre o lateral-esquerdo do Atlético-MG anulou as principais jogadas ofensivas do time mineiro. Roni se preocupou mais em marcar Arana e evitar sua projeção ao ataque do que em criar jogadas que pudessem gerar gols para o time da casa.

Em virtude da retranca montada por Abel Ferreira, o Palmeiras conseguiu a façanha de não ter conseguido chutar uma bola sequer em direção ao gol do adversário, mesmo tendo em campo jogadores habilidosos como Dudu e Raphael Veiga e atacantes como Roni e Luiz Adriano. Logicamente, o técnico palmeirense foi execrado pela própria torcida alviverde e pelos analistas de futebol.

Todavia, a tática adotada pelo técnico português não é de todo criticável. Ele programou a atuação de seu time de olho no regulamento da competição e isto pode resultar na classificação do Palmeiras à final da competição. Explica-se o empenho em não sofrer gols porque o regulamento da Libertadores da América prevê o gol qualificado para o time visitante. Ou seja, caso haja um empate com gols no jogo do Mineirão, o Alviverde paulista carimba sua passagem para a finalíssima do torneio e pode conseguir o bicampeonato consecutivo e sua terceira conquista de Libertadores. Aliás, o Verdão é o clube brasileiro com mais participações na Libertadores da América (22), seguido por São Paulo e Grêmio. É também a equipe brasileira com mais vitórias (116), seguido de Grêmio (108), São Paulo (96) e Cruzeiro (95).

A seu favor, conta ainda com a invencibilidade como visitante. Ao empatar em 1 a 1 com o São Paulo no Morumbi, pelas quartas de final, o Palmeiras chega a 14 partidas sem perder fora de casa pelo torneio. A última vez que perdeu foi para o San Lorenzo, em Buenos Aires, em 2 de abril de 2019. A partida contra o Santos na final da edição de 2020 não entra nesse retrospecto por ter sido disputada no Maracanã, estádio escolhido pela Conmebol como um campo neutro para a decisão. A sequência palmeirense como visitante é a maior da história do torneio, e passou a do River Plate nas edições de 2018 e 2019. A equipe de Marcelo Gallardo chegou a 12 partidas de invencibilidade. Se conseguir manter esta escrita contra o Galo, o Verdão pode chegar à final da Libertadores.

Porém, fazer gols no Atlético-MG não é nada fácil. O miolo de zaga formado por Junior Alonso e Nathan Silva é responsável pela eficiência defensiva, que conta ainda com a boa fase do goleiro Everson e dos volantes Allan e Jair, auxiliados pelos laterais Mariano e Guilherme Arana. Para se ter uma ideia da segurança defensiva da equipe de Belo Horizonte, o Galo sofreu apenas 13 gols em 20 partidas do Campeonato Brasileiro, sendo a equipe que menos sofreu gols no Brasileirão. Enquanto isto, o ataque mostra efetividade com 32 gols marcados, tornando-se a segunda melhor artilharia, ao lado do Palmeiras. Eles são superados apenas pelo Flamengo que tem a incrível marca de 35 gols anotados em 18 jogos.

O confronto, portanto, está completamente indefinido, com um leve favoritismo para o Atlético-MG por jogar no Mineirão com apoio de sua torcida, após ter conseguido uma liminar na Justiça para atuar diante de seu público, desde que resguardadas as medidas de controle sanitário e com ocupação reduzida. De qualquer forma, as duas equipes devem apresentar um futebol melhor do que aquele demonstrado no jogo de ida, onde nenhum dos goleiros sequer sujou o uniforme.

Flamengo obtém importante vantagem 

Bruno Henrique marcou os dois gols do Flamengo na vitória sobre o Barcelona de Guayaquil e foi eleito o craque do jogo (Foto: Marcelo Cortes/CRF)
Bruno Henrique marcou os dois gols do Flamengo na vitória sobre o Barcelona de Guayaquil e foi eleito o craque do jogo (Foto: Marcelo Cortes/CRF)

O Flamengo fez sua parte nesta quarta-feira (22) ao derrotar o Barcelona de Guayaquil no Maracanã por 2 a 0, com dois gols de Bruno Henrique, eleito pela Conmebol como o craque do jogo. Inegavelmente, é uma boa vantagem para o jogo de volta, marcado para o dia 29 de setembro no Equador. Entretanto, ao final do jogo, ficou a sensação de que o Rubro-negro carioca poderia ter feito mais e definido a classificação no Rio de Janeiro. 

O motivo de frustração de parte da torcida flamenguista se deve ao fato de o adversário ter jogado com um atleta a menos durante quase todo o segundo tempo, após expulsão de Nixon Molina no último lance da primeira etapa, após uma entrada dura em Bruno Henrique. O ábritro uruguaio Fernando Rapalini mostrou o segundo cartão amarelo para o volante equatoriano e em seguida o vermelho.

Como o Flamengo já havia feito 2 a 0 com o adversário completo, imaginou-se que o time carioca, considerado o melhor do Brasil ao lado do Galo, aplicaria uma goleada no time visitante. Mas não foi o que se viu. O técnico Fabián Bustos processou algumas alterações em sua equipe com o objetivo de pelo menos não sofrer mais gols na segunda etapa para não acabar de vez com as chances de sua equipe no jogo de volta. E deu resultado. A equipe não só manteve o placar da primeira etapa como ainda ameaçou a meta de Diego Alves – um dos protagonistas da partida com excelentes defesas que impediram gols do Barcelona de Guayaquil. No final do jogo, o zagueiro Léo Pereira também foi expulso por ter desferido uma cotovelada em um adversário, deixando ambas equipes com dez jogadores.

Além da presença de torcedores, que fizeram questão de prestar solidariedade ao lateral-direito Isla – perseguido por alguns “torcedores” flamenguistas nas redes sociais -, a grande novidade foi a estreia do zagueiro David Luiz, que deixou o gramado ovacionado pela torcida, ao ser substituído por Léo Pereira. Ele teve uma atuação razoável para quem estava inativo por muito tempo, inclusive salvando o Flamengo de tomar um gol no início do segundo tempo, ao travar o chute do atacante equatoriano, após Diego Alves ter praticado uma ótima defesa.

Andreas Pereira, que também veio do futebol inglês como David Luiz,  também cumpriu bem seu papel de substituir De Arrascaeta, talvez atualmente o mais talentoso jogador do Flamengo. A ausência do craque uruguaio provoca uma queda na articulação ofensiva do Mais Querido. Neste jogo, no entanto, o meia que veio do Manchester United mostrou capacidade de organizar o ataque ao servir seus companheiros de ataque e ainda arriscou alguns chutes de fora da área.

Caso De Arrascaeta não se recupere da lesão muscular até a próxima quarta-feira, o técnico Renato Portaluppi pode ficar tranquilo porque o substituto vem dando conta do recado. E ele ainda conta com Thiago Maia, recuperado de contusão, após longo período afastado. O meia também chegou para suprir a saída de Gerson para o futebol francês e vem entrando aos poucos no time. Hoje, o Mengão possui um elenco recheado de bons jogadores, ampliando o leque para Renato montar sua equipe, que ainda pode receber o reforço de Daniel Alves para a lateral-direita.

Agora, o Flamengo viaja para o Equador com a vantagem de poder perder por um gol de diferença para carimbar sua passagem à finalíssima da Libertadores, marcada para o dia 27 de novembro, um sábado, no Estádio Centenário, no Uruguai.

Insensibilidade da CBF

Um capítulo à parte deve ser dedicado à falta de visão dos elaboradores da tabela do Brasileirão que trabalham na Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Eles já conheciam com antecedência as tabelas elaboradas pela Conmebol (Confederação Sul-Americana de Futebol) para a Taça Libertadores da América e para a Copa Sul-Americana e não tiveram o bom senso ao marcar os compromissos de alguns times no Brasileirão.

Sabedora de que os clubes brasileiros estão se destacando no cenário futebolístico da América do Sul, a CBF deveria programar alguns jogos para datas distantes destas competições internacionais. Porém, não foi o que ocorreu. O Palmeiras, envolvido em uma batalha encarniçada com o Atlético-MG, terá de enfrentar neste sábado (25) o arquirrival Corinthians na Neo Química Rena, campo do adversário em jogo válido pela 22ª rodada do Brasileirão.

Ora, todos sabem que Corinthians e Palmeiras possuem uma das maiores rivalidades do futebol brasileiro e mesmo mundial. Desta forma, teria sido mais sensato programar este duelo para uma data longe da Libertadores. O Verdão ultimamente vem se destacando como uma das equipes mais poderosas do Brasil e o Timão reforçou sua equipe em alto nível trazendo excelentes jogadores do exterior. A atração, por certo, atrairia a atenção da imprensa e dos torcedores, provocando um clima de festa e decisão em torno desta partida. Entretanto, por estar espremido com o duelo da semifinal da Libertadores, a partida diluiu seu interesse.

Pior ainda, o Palmeiras pode poupar alguns titulares neste clássico a fim de evitar a lesão de algum jogador importante. Desta forma, criou-se um anticlímax para o Derby. Se o Corinthians derrotar o adversário, a vitória será menosprezada sob o argumento de que o rival não pôde atuar com sua força máxima. Em caso de vitória palmeirense, pode-se instaurar uma crise no Alvinegro da Zona Leste paulistana, com a possível saída do técnico Sylvinho, contestado pela torcida e prestigiado pelos dirigentes corintianos.

O Atlético-MG, por sua vez, terá de viajar a São Paulo para enfrentar o Tricolor paulista, sempre um jogo difícil apesar da má fase do time paulista. E Cuca também terá o mesmo dilema de Abel Ferreira: escalará sua equipe mais competitiva para manter a vantagem de sete pontos sobre o vice-líder Palmeiras ou poupará seus melhores jogadores com o risco de perder algum deles por contusão e desfalcar o Galo no jogo decisivo de terça-feira? 

Por fim, o Flamengo enfrentará o América-MG na manhã de domingo em Belo Horizonte. Dos três, é o que tem o compromisso mais tranquilo, embora não possa se dar ao luxo de perder mais pontos no Brasileirão sob risco de ver o Atlético-MG disparar ainda mais na tabela e ficar bem para trás na corrida ao título do Campeonato Brasileiro – competição na qual o Rubro-Negro tenta o tricampeonato consecutivo, por ter sido campeão em 2019 com Jorge Jesus e 2020 com Rogério Ceni.

Atualmente, os três postulantes ao título contabilizam os seguintes números: Atlético-MG, líder com 43 pontos em 20 partidas; Palmeiras, vice-líder com 38 pontos em 20 partidas, e Flamengo, 3º colocado com 34 pontos em 18 partidas. Os matemáticos apontam que o Galo tem cerca de 80% de possiblidades de se sagrar campeão brasileiro – exatamente 50 anos depois de ter obtido seu único Campeonato Brasileiro em 1971!

Massa Bruta sai na frente na Sula

Artur foi o nome do jogo na vitória do Red Bull Bragantino sobre o Libertad do Paraguai em Bragança Paulista (Foto: torcedores.com)
Artur foi o nome do jogo na vitória do Red Bull Bragantino sobre o Libertad do Paraguai em Bragança Paulista (Foto: torcedores.com)

A exemplo da Libertadores da América, onde se prenuncia uma final brasileira, também a Copa Sul-Americana pode ter dois clubes brasileiros na final: Red Bull Bragantino e Athletico-PR. 

O Red Bull Bragantino deu nesta quarta-feira (22) o primeiro passo para conquistar uma vaga na final da Copa Sul-Americana. E foi um bom passo. Diante da torcida, que voltou ao Nabi Abi Chedid após um ano e meio, o Massa Bruta venceu o Libertad-PAR por 2 a 0, pela primeira partida da semifinal. Ytalo e Artur, de pênalti, fizeram os gols do time paulista.

Com a vitória por 2 a 0, o Bragantino pode empatar ou perder por até um gol de diferença no jogo de volta que conquista a vaga para a decisão. A vantagem também é boa porque o Massa Bruta não sofreu gol em casa. Pelo regulamento da Sul-Americana, gol fora de casa é critério de desempate em caso da soma dos placares. Portanto, se marcar um gol, o Bragantino pode ampliar a vantagem.

A partida está marcada para a próxima quarta-feira (29). O jogo será disputado no estádio Defensores del Chaco, no Paraguai.

Antes disso, porém, o Red Bull Bragantino (5º colocado) vai ao Rio de Janeiro enfrentar o Fluminense (8º) no domingo (26) no Maracanã em partida válida pela 22ª rodada do Brasileirão.

Nessa quinta-feira (23), o Athletico-PR jogou com o Peñarol do Uruguai no Estádio Campeón del Siglo em Montevidéu pelo jogo de ida da outra semifinal. A partida de volta está marcada para o dia 30 de setembro em Curitiba na Arena da Baixada.

A Conmebol confirmou, nesta terça-feira (21), a data da final da Copa Sul-Americana. A decisão será disputada no dia 20 de novembro de 2021, um sábado, no Estádio Centenário, no Uruguai, mesmo local da final da Libertadores, que ocorre no dia 27 do mesmo mês.

Pelo Brasileirão, o Furacão (10º) recebe o Grêmio (18º) em Curitiba, na Arena da Baixada, em jogo válido pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro.

São Paulo patina em casa e não sobe na tabela

O contestado goleiro Tiago Volpi evitou a derrota do São Paulo para o América-MG no Morumbi (Foto: blogdopaulinho.com.br)
O contestado goleiro Tiago Volpi evitou a derrota do São Paulo para o América-MG no Morumbi (Foto: blogdopaulinho.com.br)

São Paulo e América-MG ficaram no empate por 0 a 0 na noite desta quarta-feira (22), no Morumbi, num jogo atrasado da 19ª rodada do Campeonato Brasileiro e que serviu apenas para tirar o América da zona de rebaixamento, colocando o Juventude em seu lugar, mas com a mesma pontuação. 

Agora, o São Paulo (12º colocado) terá um compromisso bem mais difícil pela frente. O Tricolor paulista fará sua terceira partida consecutiva no Morumbi, desta vez diante do líder Atlético-MG.