Temporada 2022 do futebol brasileiro começa com decisões

0
480
Hulk provou mais uma vez ser um jogador decisivo para o Galo (Foto: site do Atlético-MG)
Hulk provou mais uma vez ser um jogador decisivo para o Galo (Foto: site do Atlético-MG)

O Campeonato Mundial de Clubes, disputado em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, no início de fevereiro significou o final da temporada 2021. Para tristeza dos palmeirenses e gáudio dos antipalmeirenses, o Chelsea conquistou o torneio ao derrotar o Verdão por 2 a 1 na prorrogação. Apesar da frustração com o resultado, a torcida alviverde, que encheu os estádios em Abu Dhabi, deu um show nas arquibancadas e foi exaltada até mesmo pelo técnico e jogadores da equipe inglesa, campeã da Champions League. Aliás, a atuação do time comandado por Abel Ferreira também foi elogiada pelos adversários e pelos organizadores.

Passada a competição, chegou a hora de voltar as atenções para os campeonatos estaduais – cada vez mais vistos pelas grandes equipes como um torneio de preparação para as competições mais disputadas, como Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil, Taça Libertadores da América e Copa Sul-Americana. Os estaduais ainda se arrastarão até o início de abril, quando começará o Brasileirão 2022. No final de março, porém, a Libertadores também sorteará os grupos com as 32 equipes que brigarão pelo mais importante torneio da América do Sul, que vem sendo dominado pelos brasileiros. Em 2019, o Flamengo foi campeão em jogo memorável contra o River Plate de Buenos Aires, que defendia o título de campeão. Depois, foi a vez do Palmeiras conquistar dois torneios consecutivos com vitórias sobre Santos e Flamengo.

A largada para as principais equipes começou no domingo, 20 de fevereiro, com a disputa da Supercopa que reuniu o Atlético-MG, campeão brasileiro e da Copa do Brasil, e Flamengo, vice-campeão nacional. O jogo foi de alto nível, demonstrando porque as duas equipes são apontadas como as melhores do país. 

O placar de 2 a 2 (gols de Nacho Fernandez e Hulk para o Galo e de Gabigol e Bruno Henrique para o Fla) representou com propriedade o equilíbrio entre os times comandados por Antonio “El Turco” Mohammed e por Paulo Souza. O título ficou com o Alvinegro de Belo Horizonte após uma série de penalidades cobradas por jogadores dos dois times. Foi praticamente uma repetição da decisão da Supercopa de 2021, que reuniu Flamengo e Palmeiras. Naquela ocasião, a partida também terminou em 2 a 2 e foi decidida nos pênaltis. Apenas que no ano passado o título foi para a Gávea.

Decisão da Recopa

Marlos, em seu retorno a um club e de Curitiba, marcou um golaço contra o Palmeiras (Foto: José Tramontin/athletico.com.br)
Marlos, em seu retorno a um club e de Curitiba, marcou um golaço contra o Palmeiras (Foto: José Tramontin/athletico.com.br)

Por falar em Palmeiras, considerada a terceira potência futebolística do país juntamente com Galo e Fla, o time alviverde está disputando o título da Recopa pela segunda vez consecutiva. No ano passado, ficou no empate com o Defensa y Justicia perdeu o título para o time da Argentina na série de penalidades máximas.

Esse ano, a primeira partida da decisão foi disputada na Arena da Baixada, nesta quarta-feira (23), diante do aguerrido time do Athletico-PR. O time da casa saiu na frente com um gol anotado por David Terans no primeiro tempo. Gol confirmado apenas após uma demorada checagem do VAR por um possível impedimento do atacante do Furacão. A reação da equipe visitante foi rápida, com Jailson aproveitando um rebote da defesa depois do chute de Dudu.

O Alviverde da capital paulista predominou na primeira etapa, mas não soube converter as oportunidades em gols – graças às defesas de Santos e à falta de pontaria de seus finalizadores. No segundo tempo, porém, o time da casa assumiu as rédeas do jogo e pressionou bastante o time de Abel Ferreira. A insistência deu resultado, com um chute bem colocado de Marlos, indefensável para Weverton. Nos acréscimos, o lateral Marcinho cometeu um pênalti desnecessário sobre Wesley e Rapahel Veiga converteu a penalidade em gol pela 18ª vez consecutiva. Menções especiais para o desempenho dos dois arqueiros que evitaram um placar maior. 

Os adversários voltam a se encontrar na próxima quarta-feira, dia 2 de março, no Allianz Parque, em São Paulo. O vencedor conquistará o título da Recopa, inédito para os dois contendores. Em caso de novo empate, a decisão irá para os pênaltis. 

Fluminense obtém vitória importante

David Braz e Cano foram os autores da vitória do Fluminense sobre o Millonarios (Foto: site do Fluminense)
David Braz e Cano foram os autores da vitória do Fluminense sobre o Millonarios (Foto: site do Fluminense)

Com a vitória por 2 a 1 (gols de David Braz e Cano e de Soza para o time colombiano) sobre o Millonarios na noite de terça-feira (22) no El Campín, em Bogotá, pela segunda fase da pré-Libertadores, o Fluminense chegou ao sexto jogo sem perder na competição e superou a maior série invicta que já teve no torneio entre 1985 e 2008.

Mesmo eliminado nas quartas de final do ano passado na competição sul-americana, com um 2 a 2 no Rio, e 1 a 1 no Equador, o Flu não chegou a ser derrotado para o Barcelona de Guayaquil. A equipe foi eliminada com dois empates, pelo critério do gol qualificado (marcado fora de casa), que não será válido este ano.

A última derrota do Fluminense na Libertadores aconteceu na fase de grupos do ano passado, na quinta rodada, quando a equipe perdeu para o Junior Barranquilla por 2 a 1, no Maracanã.

Esta é a oitava edição que o Fluminense participa: jogou em 1971, 1985, 2008, 2011, 2012, 2013, 2021 e agora 2022. Ou seja, entre 1985 e 2008, a equipe não participou da competição. Somando os jogos dos dois anos, o clube se manteve invicto com três vitórias e dois empates – melhor série até então e igualada pelo Fluminense contra o Barcelona de Guayaquil no ano passado.

América-MG joga bem, mas é derrotado

Um banho de água fria aos 45 do segundo tempo. Ou aquele ditado clichê: “quem não faz, toma”. Frases que podem resumir o sentimento do torcedor do América-MG depois de ver o time fazer uma boa estreia e ser superior ao Guarani-PAR no primeiro jogo da história na Libertadores, mas sofrer um gol de Colmán na reta final depois de pressionar o jogo inteiro.

O técnico Marquinhos Santos teve uma baixa importante antes da partida com o meio-campo Alê, que testou positivo para a COVID-19. Índio Ramirez foi o escolhido e não comprometeu. Na frente, Matheusinho fez sua melhor partida desde o retorno ao clube mineiro. Movimentou-se bastante sem a bola, flutuou na entrada da área e caiu mais pela direita. Wellington Paulista teve chance preciosa, que parou no goleiro Vásquez.

Coletivamente, o América foi superior durante todos os 90 minutos. Teve intensidade sobretudo no início do primeiro tempo e no retorno do intervalo. Na etapa final, uma pressão infinita para cima do Guarani. Roubou a bola, povoou o campo de ataque e obrigou o goleiro Vasquez a fazer defesas difíceis.

Agora, o Coelho terá de reverter o resultado em Assunção, enquanto o Guarani joga pelo empate para passar à próxima fase da Pré-Libertadores na Quarta-feira de Cinzas, 2 de março. 

Flamengo dá show e derrota Botafogo em clássico pelo Cariocão

Gabi marcou o segundo gol na vitória sobre a Estrela Solitária (Foto: Marcelo Cortes/CRF)
Gabi marcou o segundo gol na vitória sobre a Estrela Solitária (Foto: Marcelo Cortes/CRF)

Muito superior ao Botafogo do primeiro ao último minuto, o Flamengo venceu por 3 a 1 o clássico no Nilton Santos nesta quarta-feira (23). Pedro, Gabigol e Arrascaeta marcaram os gols rubro-negros. Léo Pereira, contra, fez o do Botafogo.

O Flamengo teve mais posse de bola (55%) e mais que o dobro de finalizações em relação ao rival: 19 a 8.

Com o resultado, os rubro-negros voltaram à segunda colocação, agora com os mesmos 19 pontos do Vasco, mas com saldo superior (12 a 8).

Pelo lado alvinegro houve muita reclamação. Pediram pênalti de Pedro após toque com a mão na bola e falta de Gabigol no lance do segundo gol rubro-negro.

O Botafogo volta a campo no domingo (27), contra a Portuguesa, no Luso-Brasileiro. No mesmo dia, o Flamengo encara o Resende no Estádio Nilton Santos.

Vasco da Gama tenta seguir rumo de Botafogo e Cruzeiro

Vasco da Gama está sendo rebatizado de Vasco da “Grana”. Briuncadeirasz à parte, o cruzmaltino configurou uma SAF (Sociedade Anônima de Futebol) e o presidente Jorge Salgado foi ao mercado. A negociação entre Vasco e 777 Partners teve participação da Matix Advisors, mesma empresa que trouxe a Eagle Holdings, de John Textor, para o Botafogo. Em poucos meses, os sócios Danilo Caixeiro e Thairo Arruda fecharam os dois negócios mais importantes da companhia que também atua nos mercados de Portugal e Espanha. No caso vascaíno, o pré-acordo assinado na última segunda-feira está bem próximo do que vai ser o contrato final entre as partes.

Além da Eagle Holdings e da 777, a empresa de consultoria representa outro grupo que busca investir no futebol brasileiro, com foco em clubes da segunda divisão nacional. Recentemente, a Matix levou um investidor ao Londrina, mas a proposta foi recusada.

A aceitação do acordo foi decidida na noite de quinta-feira (24) em assembleia que reuniu os conselheiros do Clube de Regatas Vasco da Gama.