Terceiro suspeito de ataques a mendigos em Fort Lauderdale paga fiança

O principal suspeito, Brian Hook, no entanto, ainda continua preso

0
1012

Poucas horas depois de um terceiro suspeito ter sido preso em razão do espancamento de um mendigo em Fort Lauderdale na semana passada, um juiz ordenou nesta terça-feira (17/01) que um segundo acusado continuasse sendo mantido sob custódia sem pagamento de fiança.

O terceiro suspeito, identificado como William Ammons, 18, não teve seu endereço divulgado. Ele foi acusado de ataque, agravado pelo uso de uma arma letal. Ammons foi solto após o pagamento de uma fiança de $10,000 no distrito policial do condado de Broward por volta das 10 horas da manhã. Ele está sendo acusado de participar em um dos três ataques ao mendigo na semana passada.

Enquanto isto, o advogado de Brian Hooks, 18, acusado de ter sido o autor da paulada mortal com um taco de beisebol, argumentou na corte que seu cliente está levando a maior culpa pelos espancamentos.

Hooks que foi apresentado segurando um taco de beisebol quando um dos três mendigos foi espancado na quinta-feira (12/01) não foi visto por ninguém nem filmado por ter atingindo alguém, argumentou o advogado Jeremy Kroll.

Ele falou que duas testemunhas disseram à polícia que Hooks não atingiu o homem que morreu, Norris Gaynor, de 45 anos. Nem ele atacou o homem cujo ataque foi captado por uma câmera de segurança da universidade e veiculado em todo o mundo, afirmou.

Mas os promotores públicos argumentaram que testemunhas viram Hook com um bastão na mão quando aconteceu o ataque e afirmam ter ele agido agressivamente durante o ataque.

O juiz do condado de Broward, Steven P. DeLuca, determinou que Hooks continue detido, sem pagamento de fiança

No oeste de Fort Lauderdale, cerca de 20 pessoas juntaram-se por volta do meio-dia desta terça-feira no Forest Lawn Cemetery, na Northwest 27 Avenue, para o a funeral e o sepultamento de Norris Gaynor, 45, morto em conseqüência dos espancamentos contra mendigos na semana passada.

Na segunda-feira (16/01), o juiz DeLuca recusou-se a liberar o outro suspeito, Thomas Daugherty, de 17 anos, depois de uma audiência realizada no Tribunal de Justiça do condado de Broward.