Brasil Manchete

Terror em Brasília: Apoiadores de Bolsonaro tentam invadir PF e vandalizam as ruas do DF

Bolsonaristas incendiaram dezenas de carros e pelo menos cinco ônibus. A polícia tentou dispersar os manifestantes usando balas de borracha e bombas de gás lacrimogêneo. Ao menos uma pessoa ficou ferida no confronto.

Atos de vandalismo tumultuaram Brasília na noite de segunda (12). Foto: Reprodução Metropolis

Um grupo de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro tentou invadir a sede da Polícia Federal, em Brasília, em protesto a prisão de um indígena que participava de manifestações antidemocráticas na noite de segunda-feira (12). Eles incendiaram dezenas de carros e pelo menos cinco ônibus. A polícia tentou dispersar os manifestantes usando balas de borracha e bombas de gás lacrimogêneo. Ao menos uma pessoa ficou ferida no confronto.

A confusão começou por volta de 20h, quando manifestantes que se concentravam em frente à sede da Polícia Federal tentaram invadir o prédio em protesto a decisão do ministro do Supremo Tribunal Federal, Alexandre de Moraes, que expediu mandado de prisão temporária contra o cacique José Acácio Serere Xavante. A detenção ocorreu pela prática de condutas ilícitas em atos antidemocráticos. O índio ganhou notoriedade por se posicionar contra o presidente eleito Lula. Após a prisão, a Polícia Federal divulgou um vídeo onde o cacique afirma estar bem e pede aos manifestantes para não cometerem atos de violência.

Depois de horas de protestos, um rastro de destruição foi deixado nas ruas do Distrito Federal, com lixeiras, vasos de plantas e cones deixados no meio das vias para fazer barricadas. O grupo também vandalizou uma unidade do McDonald’s, quebrando vidraças e espalhando botijões de gás da rede de fast-food nas vias locais.

Durante os atos, a Polícia Militar reforçou a segurança em torno do hotel onde o presidente eleito, Luiz Inácio Lula da Silva (PT), está hospedado. Na tarde de segunda-feira, Lula participou da cerimônia de diplomação da Presidência, que o habilita a tomar posse no dia 1o de janeiro de 2023.

Até a manhã de terça-feira (13), a Polícia do DF ainda não havia confirmado o número de prisões relativas aos atos de vandalismo.

Assista aos vídeos do portal Metrópolis: