Advogado do sul da Flórida estava em Nice no momento do atentado

Alex Kapetan, estava no local com a noiva e disse: “foi a experiência mais assustadora que tive em minha vida”

0
3687
Alex Kapetan e sua noiva estavam em Nice na hora do atentado
Alex Kapetan e sua noiva estavam em Nice na hora do atentado

Da Redação

Um atentado provocado por um homem em um caminhão matou pelo menos 84 pessoas em Nice, no sul da França, na noite de ontem. A multidão estava aglomerada para assistir à queima de fogos para celebrar a Queda da Bastilha, quando o caminhão avançou sobre as pessoas matando dezenas de pessoas, entre elas, várias crianças.

O advogado americano Alex Kapetan, muito conhecido por seu trabalho no sul da Flórida, estava no local com sua noiva Kayla Repan, de Boca Raton, e conversou com o AcheiUSA sobre  os momentos de terror que passaram. “O show de fogos tinha acabado de terminar e começamos a andar para procurar um lugar para jantar, quando ouvi um barulho paracendo tiro. Pensei que fossem os fogos, até que vi as pessoas começarem a correr e nós corremos também, ainda sem saber o que estava acontecendo. Estava muito lotado e as pessoas estavam buscando abrigo em restaurantes e hotéis. Entramos em um hotel e fomos para o roof top onde tem um restaurante, tinham muitos policiais e ficamos lá até às 4 da manhã quando nos liberaram para sair”.

“Foi a experiência mais assustadora que já vivi na minha vida. Nós estávamos bem na direção em que o caminhão atingiu as pessoas. Vimos pessoas gritando, vidas perdidas. Total pânico e caos. Estou muito agradecido por estamos vivos e muito triste por aqueles que não tiveram a mesma sorte. Não tenho palavras para descrever isso, não sei se existem palavras”, disse Kapetan.

Em entrevista ao Miami Herald, a noiva de Alex, Kayla disse: “eu vi pessoas correndo e gritando. Nós ouvimos um barulho e pensei que ainda eram os fogos de artifício. O show pirotécnico já tinha terminado, mas eu pensei que ainda se tratava disso. Mas aí logo depois vi pessoas correndo e, nesta hora, não sabíamos porque elas estavam correndo”. E completou: “as lojas começaram a fechar as portas e entramos num restaurante. Estávamos do lado de fora, eles estavam fechando as portas e eu pedi para que eles nos deixassem entrar e ficamos por lá um tempo”, disse.  Ela gravou um vídeo que pode ser acessado no link https://youtu.be/HIAJdpiEZo8

Suspeito se passou por vendedor de sorvete

Motorista foi morto pela policia
Motorista foi morto pela policia

O suspeito pelo atentado em Nice, no Sul da França, que deixou pelo menos 84 mortos, se passou por um vendedor de sorvete para enganar policiais e ficar no Passeio dos Ingleses, via onde atropelou as vítimas. As informações são do jornal britânico “Express”.

De acordo com a publicação, o suspeito, um homem franco-tunisiano, de 31 anos, alugou o caminhão que usou no atentado há dois dias. Dentro do veículo estavam armas pesadas, como rifles, e granadas.

Ele ficou rodando por ruas de Nice por cerca de nove horas antes de se dirigir ao Passeio dos Ingleses, onde esperou a multidão se reunir para assistir à queima de fogos em comemoração ao dia da Bastilha (14 de julho).

Em seguida, ele contou para policiais que estaria vendendo sorvetes para ter acesso ao público. Foi quando iniciou o ataque. O franco tunisiano dirigiu por cerca de 2 quilômetros, antes de ser morto pela polícia. Dezenas de pessoas também ficaram feridas no ataque.

De acordo com o “Express”, embora o acesso de caminhões seja restrito durante celebrações como a desta quinta-feira, veículos de entregas e vendas são permitidos. O grupo terrorista Estado Islâmico é apontado como responsável pelo ataque.