Texas acrescenta Chicago como destino para imigrantes expulsos do estado

Governador republicano Greg Abbott anunciou que Windy City se une a New York e Washington DC como ponto de destino para imigrantes que chegaram à fronteira e foram liberados pelo governo federal enquanto seus casos de imigração são resolvidos

0
479
Os ônibus que saem do Texas com indocumentados agora também vão para Chicago (Foto: cbsnews.com)
Os ônibus que saem do Texas com indocumentados agora também vão para Chicago (Foto: cbsnews.com)

O estado do Texas acrescentou Chicago à lista de cidades de destino para imigrantes indocumentados expulsos que chegam à fronteira em busca de asilo, e o governo federal os libera enquanto seus casos são processados ​​no Tribunal de Imigração (EOIR).

Na quarta-feira (31), o governador Greg Abbott anunciou a chegada do primeiro grupo de ônibus da fronteira mexicana para Chicago.

Abbott disse que “imigrantes foram deixados na Union Station” durante a noite. E que, além de Washington, DC e New York, “Chicago agora será um local de entrega para a estratégia de ônibus como parte da resposta às políticas de fronteira aberta do presidente Biden que sobrecarregam as comunidades fronteiriças do Texas”.

O Texas começou abril enviando imigrantes para cidades governadas por democratas como parte de uma estratégia de campanha de Abbott, que defende a política de imigração de tolerância zero do ex-presidente Donald Trump e culpa o governo Biden por ter causado uma crise histórica na fronteira sul.

Nos dois primeiros ônibus que chegaram a Chicago “havia 77 imigrantes de várias nacionalidades”, disse Artemio Arreola, diretor da Coalizão de Illinois para Imigração e Direitos de Refugiados (ICIRR), à Univision News. “Juntamente com o município, autoridades estaduais e outras organizações, acolhemos esses refugiados”, disse ele.

Arreola disse que o envio de imigrantes indocumentados é uma “campanha política dirigida pelo governador do Texas como parte de uma estratégia de campanha de reeleição”, mas que grupos e autoridades de Chicago estão mais preocupados com “o bem-estar” dessas pessoas.

“Essas transferências devem ser melhor coordenadas e estamos tentando evitar a formação de gargalos com novos embarques. Por isso estamos nos preparando para ajudá-los a se reunir com parentes aqui e em outros estados, e também com apoio temporário, caso decidam ficar em Chicago”, disse.

O ativista também disse que “em Chicago há falta de mão de obra, então não haveria problema em encontrar um emprego para eles enquanto aguardam a resolução de seus casos de imigração”. Ele indicou que no esforço de ajudar, além do governo municipal e estadual, “as igrejas se uniram para dar uma mãozinha”.

“Poderia ser feito melhor”, disse Arreola. “Mas o que pode ser feito com a chegada surpresa dessas pessoas está sendo feito. Não vamos deixá-los sozinhos.” (Com informações da Univision News)