Timão na cabeça!

0
1794

Deu a lógica! O Corinthians conquistou na quarta-feira (15) à noite seu sétimo título de campeão brasileiro. Não chegou a ser surpresa, pois os especialistas apenas debatiam quando a conquista seria consumada. Para felicidade da torcida corintiana que lotou o Itaquerão e deu bastante audiência para a TV Globo, a equipe confirmou o título com quatro rodadas de antecedência ao derrotar o Fluminense, de virada, por 3 a 1 em São Paulo, com dois gols de Jô -artilheiro do Campeonato – e Jadson e gol de Henrique para o Tricolor carioca.

Jô e Arana, dois destaques

Artilheiro do Campeonato Brasileiro com 18 gols marcados e autor de dois tentos na vitória que garantiu o título nacional ao Corinthians, nesta quarta-feira, contra o Fluminense, Jô é agora o 6º maior goleador do clube neste século. Com os dois anotados sobre o Tricolor Carioca, o camisa 7 corintiano chegou aos 43 com a camisa alvinegra, em 177 partidas disputadas. Na noite de ontem, o centroavante superou Elias, com 41, e Chicão, com 42. Com três rodadas para o fim do Brasileirão, o atacante pode igualar ainda este ano a marca de Tevez, 5º no ranking com 46 gols. A festa do título brasileiro teve significado ainda mais especial para Guilherme Arana. O lateral-esquerdo admitiu que está prestes a trocar o Corinthians pelo Sevilla, da Espanha. O Corinthians também dá a negociação como quase sacramentada. O Sevilla ofereceu 10 milhões de euros (R$ 37,7 milhões) pelo jogador de 20 anos e a discussão agora está na divisão dos direitos econômicos. Com apenas 40% de Arana, o Corinthians alinha com os empresários do lateral para lucrar mais. Caso o acordo seja finalizado, o Timão receberá pelos 40%, mas ainda vai continuar com 20% dos direitos econômicos. Esta diferença seria paga pelas empresas Elenko Sports e Art Sports, que detém uma porcentagem do garoto e aceitam ceder parte do lucro.

Carille, o improvável herói

“Não tenho medo nenhum, a pressão vai existir de qualquer forma.”A frase acima é de Fábio Carille na primeira entrevista dele após ser efetivado como técnico do Corinthians, dia 22 de dezembro do ano passado. Sem medo, o treinador encerra a temporada com títulos. Após o começo de desconfiança, o time encorpou no Campeonato Paulista e foi campeão com sobras. A solidez defensiva de uma equipe que quase não sofre gols e perde jogos rendeu o melhor turno da história dos pontos corridos com 20 clubes. Invicto, foram 47 pontos (82,4% de aproveitamento), com 14 vitórias e cinco empates. Nem mesmo os tropeços e o período de turbulência na segunda metade do Brasileirão foram capazes de colocar a liderança em risco, tanto que serão 34 rodadas na ponta até o fim. Além do time de Carille, somente Chapecoense, duas vezes, Bahia e Grêmio sentiram o gostinho da primeira posição. Aos 44 anos, ele ganhou o décimo título nacional do Timão e entrou para um grupo que conta com: Tite, Mano Menezes, Oswaldo de Oliveira, Vanderlei Luxemburgo, Antônio Lopes, Eduardo Amorim e Nelsinho Baptista. A partir da próxima temporada, o desconhecido Carille entra respeitado e com chance de voos maiores, afinal o estado de São Paulo e o Brasil ele já conquistou. Agora, o elenco comemora e volta a campo contra o Flamengo no Estádio Luso Brasileiro (19), enquanto o Flu recebe a Ponte Preta no Maracanã, na segunda-feira (20).

Grêmio briga pelo vice

Com as finais da Libertadores no horizonte, o Grêmio se permitiu realizar um teste de luxo na noite desta quarta-feira. Com força máxima, teve boa atuação e conseguiu vencer o São Paulo por 1 a 0 na Arena, em jogo válido pela 35ªrodada do Brasileirão. O único gol da partida foi anotado pelo zagueiro Kannemann, quase sem querer, ao aproveitar rebote de Sidão. No final do jogo, Marcelo Grohe comprovou a grande fase e garantiu o triunfo. Com a vitória, o Grêmio se mantém na vice-liderança do Brasileirão, com 61 pontos, quase garantido no G-4. Agora, se prepara para o jogo de ida contra o Lanús pelo jogo de ida das finais da Libertadores. Isso porque o time para o duelo contra o Santos, pela próxima rodada, será completamente reserva. Já o São Paulo fica em 11º, com 45, e se vê mais longe no objetivo de se classificar para a competição sul-americana. No próximo domingo, recebe o Botafogo no Pacaembu.

Vasco e Galo ficam no empate

O Vasco está batendo à porta do G-7, mas ele, teimoso, ainda não atendeu. Mais uma vez, uma vitória colocaria o time carioca no grupo que vai à Libertadores, mas o empate (segundo seguido) não foi suficiente. O Vasco fez um bom jogo. Foi muito superior na primeira etapa, fez o gol com André Rios, teve várias chances de fazer mais um, mas não conseguiu – também, claro, pela grande atuação de Victor, goleiro do Atlético. O Galo empatou no segundo tempo, com gol do centro-avante Fred. A próxima tentativa será fora de casa: na próxima rodada tem o Furacão pela frente, em Curitiba. Já o Galo, recebe a visita do Coritiba no Estádio Independência.

Cruzeiro sofre empate no final

A grave lesão no joelho direito, após um dividida com o uruguaio Maurício Lemos, durante o Pan-Americano de 2015, fez ele esperar 912 dias para voltar a jogar com a camisa do Cruzeiro. Em seu retorno aos gramados, após dois anos e meio, Judivan, entretanto, não precisou nem de cinco minutos para fazer o que mais gosta: gols. O atacante, em seu primeiro jogo após a recuperação, estava garantindo a vitória do Cruzeiro por 2 a 1 sobre o Avaí, de virada, no Mineirão, na quarta-feira (15). Entretanto, aos 47 do segundo tempo, Júnior Dutra recebeu na área e acabou com a festa no Gigante da Pampulha, deixando tudo igual. O outro gol cruzeirense foi marcado por Thiago Neves, que se tornou o artilheiro da equipe na temporada com 16 pontos. Na próxima rodada, Raposa recebe o Vitória em Belo Horizonte eo Avaí enfrenta o Palmeiras em Florianópolis.

Danilo Barcelos dá espereança à Ponte Preta

Lutar contra o rebaixamento requer uma dose de superação na reta final do Brasileiro, como demonstrou o meia Danilo Barcelos, que fez os dois gols da vitória da Ponte Preta sobre o Atlético-PR por 2 a 1, na tarde de quarta-feira (15), no Moisés Lucarelli. O jogador era dúvida até última hora em razão de uma gripe forte, mas bateu o pé para jogar e resolveu a partida. O primeiro gol veio na primeira etapa junto com muito choro e emoção do jogador. No segundo tempo ele estava lá para fazer o segundo em uma cabeçada para as redes. O Atlético-PR ainda descontou com Sidcley também no segundo tempo, mas uma defesa portentosa de Aranha impediu o empate dos paranaenses. Agora, o Furacão recebe o Vasco da Gama em Curitiba e a Macaca enfrenta o Fluminense no Maracanã na segunda-feira (20).

Brasil sem piloto na F1

Depois de 48 anos, o ano de 2018 marcará a ausência de um piloto brasileiro no grid de Fórmula 1 desde 1970, quando Emerson Fittipaldi abriu a dinastia verde-amarela pelas pistas do mundo. A confirmada aposentadoria de Felipe Massa na última prova da temporada 2017, marcada para o dia 26 de novembro na Yas Marina em Abu Dhabi, fará com que apenas os verddadeiros fãs de automobilismo sintonizem a TV para acompanhar as provas. Aqueles que somente vibravam com vitórias ou mesmo com bons desempenhos de nossos compatriotas deverão usar o tempo dedicado às transmissões para fazer outras atividades. Isto, com certeza, prejudicará até mesmo o faturamento publicitário da Rede Globo que detém os direitos de transmissão do Campeonato Mundial de Fórmula 1 para o território brasileiro. O substituto de Massa na equipe Williams será o polonês Robert Kubica, afastado da categoria há sete anos, após ter sofrido um grave acidente que quase causou sua impossibilidade retornar às pistas. O próprio Massa culpa a CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo) pela falta de novos talentos no esporte – para variar, seus dirigentes também estão sendo acusados de corrupção, este mal endêmico no esporte (e em outras atividades) do país.

Itália chora desclassificação

A Itália ficará fora de uma Copa do Mundo pela primeira vez em 60 anos. Desde 1958, a Squadra Azzurra não desfilava seu tradicional uniforme pelos gramados de todo mundo. A eliminação para a Suécia em duas partidas (0 a 1 em Esocolmo e 0 a 0 em Milão) provocou uma profunda decepção para os italianos e fez desabrochar o sentimento de reformulação no combalido futebol italiano – que vem perdendo brilho ano após ano. Da liga mais atraente da Europa, a Série A é hoje um pálido retrato do antigo poderio do calcio. É bem verdade que algumas equips vêm investindo mna melhoria do padrão do futebol jogado, como é o caso de Juventus, Napoli e Inter de Milão, mas o comando foi entregue a Gian Piero Ventura, um técnico sem carisma e sem currículo. Agora, só resta mesmo uma renovação total para recuperar o prestígio perdido. A se lamentar, a ausência de Gianluigi Buffon, o lendário arqueiro italiano, que havia anunciado sua aposentadoria da seleção após a Copa. A desclassificação inesperada apenas acelerou o processo. Ironicamente, a atual safra de jogadores italianos não é ruim, sobretudo entre os atacantes, mas a má sorte de ter caído no mesmo grupo da Espanha – vencedora da chave e uma das melhores seleções europeias – e ter disputado a repescagem com Suécia prejudicou a Sqauadra Azzurra. Porém, nomes como Belotti, Insigne, Gabbiadini, Immobile, Bernardeschi e outros não podem ser descartados, além da jovem revelação do Milan, o arqueiro Gianluigi Donnaruma, que assumnirá a titularidade da sleeçào da Itália com a aposentadoria de Buffon.

Outras decepções

Itália não foi a única a decepcionar. O Chile, atual bicampeão da Copa América, também não se classificou, assim como Holanda (Terceira colocada na Copa jogada no Brasil) e Estados Unidos – a equipe americana precisava apenas de um empate diante da fraca seleção de Trinidad & Tobago, mas foi derrotada e combinação de resultados causou sua eliminação. Certamente, no Qatar, em 2022, todas estas seleções devem retornar porque a Fifa já anunciou que se classificarão 48 equipes, a fim de tornar o evento mais global.

Seleções classificadas para Copa da Rússia

Já estão definidas as 32 seleções nacionais que lutarão pelo título da Copa do Mundo na Rússia em 2018. Da América do Sul, classificaram-se Brasil, Uruguai, Argentina, Colômbia e Peru; da América do Norte, México, Costa Rica e Panamá; da Ásia, Austrália, Arábia Saudita, Irã, Japão e Coreia do Sul; da África, Egito, Marrocos, Tunísia, Nigéria e Senegal, e da Europa, Alemanha, Portugal, Espanha, França, Inglaterra, Suécia, Dinamarca, Islândia, Croácia, Sérvia, Bélgica, Polônia, Suíça e Rússia (país-sede). O sorteio das chaves ocorrerá no dia 1º de dezembro em San Petersburgo.