Trabalhadores estrangeiros vivem dias sombrios no Twitter de Elon Musk

Portadores de vistos de trabalho podem ter que voltar aos seus países devido à política de cortes de funcionários da empresa

0
686
Portadores do visto H-1B vivem limbo no Twitter de Elon Musk (Reprodução NBC)

Trabalhadores estrangeiros, portadores do visto H-1B, estão vivendo dias de incerteza no Twitter, empresa adquirida pelo bilionário Elon Musk e que passa por uma grande reformulação no seu quadro de funcionários.

No início da semana passada, Musk deu aos funcionários um “ultimato”, solicitando aqueles que “não se comprometerem, a pedirem demissão”. No caso de portadores de visto de trabalho, a situação é mais complicada, já que o visto está atrelado à empresa.

Empresas de tecnologia como o Twitter contam com a mão de obra especializada desses trabalhadores estrangeiros. Entre os funcionários estão programadores, engenheiros, matemáticos, entre outros.

No ano fiscal de 2022, o Twitter tinha aproximadamente 300 portadores de H-1B trabalhando no local.

Esses empregados são vulneráveis a programas de demissão, como o do Twitter e podem ter que voltar aos seus países de origem.

“Demitir estrangeiros portadores do H-1B não é apenas dispensar um funcionário, que pode achar outro trabalho. É mudar totalmente a sua vida, a de sua família, já que eles podem ter que voltar aos seus países de origem e abandonarem tudo que estão construindo”, afirma um ex-funcionário do Twitter à CNN. “Sair do Twitter hoje é uma questão de autopreservação”.

Apesar do ambiente tóxico relatado por funcionários, muitos estrangeiros vão ter que “engolir sapo” para manter o trabalho. “Muitas dessas pessoas não chegaram ontem aos Estados Unidos. Elas estão aqui há anos com suas famílias. As empresas virarem as contas para elas agora é insensível e destrutivo, além de minar a confiança de pessoas competentes ao redor do mundo”, afirma David Bier, diretor do centro de estudos imigratórios, Cato Institute.

Green card é a saída

A advogada de imigração Renata Castro alerta que portadores desse tipo de visto devem buscar uma alternativa para obtenção do green card.

“O visto H-1B é uma porta de entrada nos Estados Unidos, mas não é uma escritura de permanência. Episódios como o que aconteceu no Twitter, Meta (Facebook) e Amazon mostram que é essencial que indivíduos que estão nos EUA ou que virão para cá com o visto H-1B discutam com o empregador a opção de dar entrada nos vistos E-B3 ou E-B2, dependendo da qualificação. Somente o green card dá a segurança de permanência no País”, afirma a advogada.