Sobreviventes de Las Vegas passam pelo segundo tiroteio em massa na Califórnia

“Pela segunda vez tive que postar que estou salva”, disse sobrevivente dos dois atentados, de Las Vegas e da Califórnia

0
2089
Brendan Kelly mostra a tatuagem que fez na época do atentado de Las Vegas e agora passou pela mesma situação (AP Photo/Ryan Pearson)
Brendan Kelly mostra a tatuagem que fez na época do atentado de Las Vegas e agora passou pela mesma situação (AP Photo/Ryan Pearson)

Pode parecer difícil acreditar, mas alguns jovens sobreviventes do massacre de Las Vegas ocorrido em 1º de outubro de 2017, estavam no Borderline Bar and Grill, na última quarta-feira (7), quando um ex-fuzileiro naval entrou atirando e matou 12 pessoas. No dia 1º de outubro de 2017, um atirador matou 58 pessoas durante o Route 91 Harvest Country Music Festival.

Brendan Kelly estava lá no ano passado – ele tem uma tatuagem para lembrar a tragédia –  e também estava no bar na última quarta-feira. Brendan disse que ao ouvir os primeiros disparos, já sabia que eram tiros. “Eu não gostaria de estar no primeiro tiroteio e o segundo não é nada fácil. Eu não pensei que fosse real”, disse o jovem de 22 anos, fã de country music, ritmo também da noite no bar da Califórnia.

Já o jovem Telemachus ‘Tel’ Orfanos não teve a mesma sorte. Ele sobreviveu ao atentado de Las Vegas, mas morreu no ataque ao bar.  Ele já esteve na Marinha e estudou na Moorpark College. Após a confirmação de sua morte, a mãe dele, Susan, falou à rede de TV ABC e disse defender o controle de armas: “Meu filho estava em Las Vegas com muitos amigos e voltou para casa. Ele não chegou em casa ontem à noite e eu não quero orações. Eu não quero pensamentos. Eu quero controle de armas, e espero por Deus que ninguém me envie mais orações. Eu quero o controle de armas. Chega de armas”, disse.

Molly Mauer trabalhava no bar naquele dia e também escapou dois dois atentados. “Não acredito que estou postando isso de novo. Estou viva e em casa sã e salva”.

Na quarta-feira (12), o ex-fuzileiro naval condecorado Ian David Long, de 28 anos, abriu fogo em um bar lotado na cidade de Thousand Oaks, na Califórnia, matando pelo menos 12 pessoas e deixando outras dezenas feridas. Ian David Long era especializado em metralhadoras, atuou no Afeganistão e já havia tido diversos problemas com a polícia. Ele se matou depois do atentado. Os disparos aconteceram durante um evento de estudantes universitários em um bar de música country, por volta das 11h20 da noite. (Com informações da AP).

Telemachus Orfanos tinha sobrevivido ao ataque a tiros em Las Vegas, em 2017
Telemachus Orfanos tinha sobrevivido ao ataque a tiros em Las Vegas, em 2017