Um mês depois da morte de jovem brasileiro em Winter Park (FL), família cobra respostas

Roger Trindade apanhou até a morte de outro grupo de adolescentes e ninguém foi preso ainda

0
3585
Roger foi espancado até a morte
Roger foi espancado até a morte

A família do adolescente brasileiro Roger Trindade, morto no dia 15 de outubro em Winter Park (FL), pede justiça. Pouco mais de um mês já se passou da tragédia e a polícia ainda não efetuou nenhuma prisão. Para chamar a atenção das autoridades, a família e os amigos do jovem estão organizando vigílias na cidade.

“Hoje está fazendo um mês que mataram o Roger e ninguém foi preso. Queremos justiça”, postou a família no Facebook “Justice for Roger Trindade” 

De acordo com testemunhas, no dia 15 de outubro, o adolescente estava passeando com outro amigo quando foi atingido por outro adolescente com um spray “fedido”. Roger correu para tirar satisfações, quando o menino chamou outros amigos que foram para cima do brasileiro e do amigo. Ele teria levado chutes na cabeça, foi encaminhado para o hospital, mas não resistiu aos ferimentos.

“Eu sinto falta do meu filho todos os dias. Um filho amável e carinhoso que preenchia com alegria e amor onde ele ia. Ele fez muitos amigos em Winter Park e nos encheu de orgulho. Eu perdi meu filho, a escola perdeu um excelente aluno e a América perdeu um ótimo cidadão. Falta uma parte de nós”, disse a mãe de Roger, Adriana Thomé.

O advogado de uma das testemunhas, John Sirounis, disse que tem sido muito traumático para todos os envolvidos. “É tudo muito traumático principalmente para adolescentes dessa idade, mas também para os pais”, disse.

A amiga do adolescente Sandy Womble participou da vigília para pedir justiça e ela disse ser solidária ao sofrimento da família. “Eles estão sofrendo muito. Toda a comunidade foi atingida por essa tragédia. Estamos buscando respostas”.

A polícia informou ao Channel 9 de Orlando que os agentes estão seguindo o padrão normal das investigações, esperando todos os resultados das perícias para responsabilizar os culpados.

“Essa investigação é complicada e tem muitos aspectos. Eu não acho que ninguém tinha a intenção de matar ninguém naquele momento”, informou. A polícia disse ainda que todos os envolvidos na briga daquela noite já foram identificados.

O laudo com os exames só será concluído quanto a perícia receber todos os testes.