Uma parceria de pai e filho brasileiros

Singularidade foi escrito durante a pandemia e acaba de ganhar versão roteirizada para o cinema

0
554
Jayme Alencar de Oliveira Filho e seu filho, Jayme Sampaio Alencar, de 12 anos (Foto: Arquivo pessoal)
Jayme Alencar de Oliveira Filho e seu filho, Jayme Sampaio Alencar, de 12 anos (Foto: Arquivo pessoal)

DA REDAÇÃO – Se, de um modo geral, a pandemia e o consequente confinamento dificultaram as já conflituosas relações entre pais e filhos, na residência da família Alencar, no estado da Virgínia, o isolamento social gerou um livro, escrito a quatro mãos. O dentista brasileiro Jayme Alencar de Oliveira Filho e seu filho, Jayme Sampaio Alencar, de 12 anos, aproveitaram o tempo juntos em casa para colocar nas páginas uma espécie de alerta com relação ao aquecimento global. Singularidade, um romance de ficção científica que mistura aspectos da ciência, aventura e religião, tem passagens que envolvem o leitor, numa história bem atual. Foi escrito originalmente em inglês, mas acaba de ganhar a tradução para o português e ainda uma versão roteirizada para o cinema.

Capa do livro Singularidade
Capa do livro Singularidade

A obra original (Singularity) lançada em 2020 pela editora Global Summit House teve ótima recepção da crítica. A história se passa no final do século 21, em um planeta Terra agonizante por causa das mudanças climáticas e da superpopulação. Várias gerações de cientistas tentam salvar a espécie humana até que um homem e sua filha, ambos imigrantes brasileiros, descobrem como se transportar ao espaço sideral através dos buracos negros. O livro em português será lançado oficialmente em setembro, pela Underline Publishing

“O livro foi escrito durante o vazio da pandemia. Foi uma maneira de chamarmos atenção para a destruição do meio ambiente causada pelos seres humanos, de várias formas, em todos os países. Aproveitamos o período em que tudo parou para deixarmos, eu e meu filho, um grito de socorro sobre a importância de cuidar do planeta”, conta Jayme, 45 anos, escritor, filantropo e dentista premiado, radicado nos Estados Unidos desde 2004. A veia de escritor é de família: cearense, ele é primo do grande romancista José de Alencar. 

Esse é o segundo livro de Jayme, o filho. O primeiro foi “Brother Bear”, lançado em 2017 pela editora Xilibris, quando tinha apenas 8 anos. “Trata-se de uma fábula que conta a história de dois irmãos ursos órfãos que precisam viver sozinhos na floresta, enfrentando vários perigos”, explica o estudante, que nasceu nos Estados Unidos em 2009. A mãe do jovem escritor é também brasileira: a oncologista Cristina Sampaio.

Na obra, há claras menções aos cientistas Albert Einstein e Carl Sagan, e ao filme “Interestelar”, de Christopher Nolan, estrelado por Matthew McConaughey e Anne Hathaway. Aliás, Singularidade pode chegar, em breve, à tela grande, pelas mãos do roteirista Anthony Guilianti, que tem no currículo mais de mil produções cinematográficas para estúdios como Universal, Disney, 20th Century Fox, Warner Brothers e Relativity Media, entre outras gigantes do ramo.