United Airlines rastreia passageiros que estiveram a bordo do voo em que um homem morreu com suspeita de covid-19

O voo asaiu de Orlando com destino a Las Vegas na segunda-feira. Segundo relatos, antes mesmo da decolagem o homem já apresentava dificuldade para respirar, tremedeira e sudorese. Sua esposa teria informado que ele testou positivo para a covid-19

0
1414
Companhia aérea e o Centers for Disease Control (CDC) trabalham para rastrear todos que estiveram a bordo (foto: wikimedia)
Companhia aérea e o Centers for Disease Control (CDC) trabalham para rastrear todos que estiveram a bordo (foto: wikimedia)

O voo da United Airlines decolou de Orlando na segunda-feira (14) com destino a Los Angeles, mas foi desviado para New Orleans depois que um homem faleceu a bordo com suspeitas de covid-19. Relatos de passageiros nas redes sociais indicaram que a esposa do homem informou que ele tinha testado positivo para o coronavírus.

Em comunicado, a companhia aérea disse que quando fez o check-in ele atestou “pronto para voar”, como não tendo sintomas de covid-19. “Mas o passageiro pode não ter falado a verdade”, indicou a United.

Os quatro comissários que responderam à emergência a bordo do voo entraram em quarentena por 14 dias após o ocorrido. A companhia, agora, em parceria com o Centers for Disease Control (CDC) trabalha para rastrear todas as pessoas que estiveram a bordo.

Segundo relatos, o homem antes mesmo da decolagem, já apresentava sintomas como dificuldade para respirar, tremedeira e sudorese.

A médica teria levado cerca de 45 minutos para entrar na aeronave, e tal demora fez com que os passageiros tentassem ajudar na reanimação da vítima.

“Não fizemos respiração boca a boca, estávamos fazendo compressões torácicas e eles colocaram uma máscara de oxigênio nele. Sabia dos riscos envolvidos na realização de CPR em alguém com chances de ter covid, mas optei por fazê-lo de qualquer maneira. Falei com a mulher do passageiro sobre seu histórico médico e ela nunca mencionou que ele estava doente, mas disse que ele tinha um teste agendado em Los Angeles”, tuitou Tony Aldapa, que estava no avião.

A família confirmou que o homem sofria de doenças pré-existentes, incluindo hipertensão e problemas respiratórios, e estava se sentindo mal antes do dia da viagem. causa informada da morte foi parada cardiorrespiratória.