Veja como Nova York vai combater a onda de violência

0
692
A violência tem aumentado na maiorias das cidades grandes, especialmente depois do início da pandemia (Foto: Pixabay)
A violência tem aumentado na maiorias das cidades grandes, especialmente depois do início da pandemia (Foto: Pixabay)

No dia 24 de janeiro, o novo prefeito de Nova York, Eric Adams, anunciou seu plano de segurança a fim de combater a recente onda de violência na cidade.

Em 2021, o ex-presidente do Brooklyn e ex-policial, concorreu à prefeitura de Nova York com a promessa de que aprimoraria a segurança pública da cidade. Violência tem aumentado na maiorias das cidades grandes, especialmente depois do início da pandemia. Fatores que influenciam este crescimento são variados.

A decisão de lançar um plano de segurança pública foi motivado por mais uma série de eventos que ocorreram recentemente logo após sua inauguração em 1º de janeiro.

Primeiramente, uma mulher foi empurrada da plataforma de uma estação de metrô enquanto o trem vinha, morrendo instantaneamente. No dia 9 de janeiro, houve um grande incêndio em um prédio de apartamentos no The Bronx, matando 17 pessoas. Houve também uma série de homicídios, entre os quais, um bebê no The Bronx, um atendente do Burger King em Manhattan e policiais no The Bronx, Harlem e Staten Island.

“Este é um oceano de crimes que tem sido alimentados por muitos rios, mas temos que barrar todos esses rios”, declarou Adam a CNN na segunda à noite.

Em seu plano, denominado “Retrato Para Segurança”, Adams pretende combater a violência, adicionando mais policiais nas ruas, expandindo programas sociais e de empregos em comunidades de baixa renda, revisando a reforma de cobrança de fianças, e transformação das leis de controles de armas.

Apesar de planos na área sociais serem bem vagos, o prefeito deixou bem claro como pretende combater a violência de armas. No plano entitulado “Retrato de Como Eliminar a Violência por Armas”, o prefeito pretende restituir a operação de oficiais disfarçados de membros da comunidade, que havia sido desmontada em 2020 durante os protestos de George Floyd. O prefeito ainda pretende colocar pressão nos governos estaduais e federais a fim de agirem em legislação para controle do porte de armas. Kathy Hochul, governadora do estado de Nova York, instituiu uma força tarefa, juntamente com 9 estados na costa leste, a fim de combater armas ilegais.

Com relação à reforma de cobrança de fiança, o estado de Nova York aprovou lei que elimina a cobrança de fiança para crimes não violentos, para insatisfação da NYPD, a força policial de Nova York e os sindicatos dos policiais. Adams pretende permitir que o nível de violência seja determinado pelo juiz de cada caso.

Esse posicionamento causou críticas de políticos mais progressistas na cidade, entre eles Jumaane Williams, advogado público, e Tiffany Cában, vereadora pelo distrito 22.

“Eu me oponho veemente em cancelar uma medida de bom senso, que é a reforma de cobrança de fiança, removendo a segurança vital dos direitos dos acusados, expandindo a tecnologia de reconhecimento de rostos, e transferindo o porte de armas por menores das cortes de família para corte criminal,” declarou Cában.

Com essa onda de crimes assolando a cidade, há ansiedade entre a população de um retorno de violência rampante dos anos 80 e 90, quando o número de homicídios ao ano ultrapassava 2000. Como referência, o número de homicídios no ano passado foi de 488.

“Muitas pessoas estão falando sobre os dias maus do passado e eu entendo. É assustador ver os homicídios nas ruas e nas telas. Podemos construir comunidades mais fortes e seguras sem precisar recorrer a estratégias do passado que causaram muitos danos. Isso não é hora de perder lições que já foram aprendidas”, declarou Williams.

Comediantes da NBC compram barca de Staten Island, New York

Staten Island Ferry Boat (Foto: Mike Steele/Flickr)
Staten Island Ferry Boat (Foto: Mike Steele/Flickr)

Pete Davidson e Colin Jost, comediantes do programa de variedade Saturday Night Live, compraram uma barca antiga de Staten Island em um leilão beneficente. A compra presta homenagem ao borough onde os dois nasceram.

O departamento de serviços administrativos da cidade tinha colocado Kennedy, o nome da barca, à venda com a oferta inicial de $250.000. Devido à falta de interesse, a agência reduziu para $125.000. O barco foi vendido na quarta-feira, 19 de janeiro, por $280.000. A compra foi confirmada por Paul Italia, dono do clube de comédia The Stand, que fez a oferta em nome de Davidson e Jost, além de outros investidores.

Os novos donos tem planos de criar um local dedicado a artes, utilizando a barca, mas ainda não há planos concretos para a barca. Eles tem até duas semanas para retirá-la de seu atual local, o terminal de St. George Ferry, na porção norte de Staten Island.

Além do valor histórico, Kennedy era a barca mais antiga da frota e era a favorita dos passageiros por ter mais espaço na promanada dos balcões, ela também tem um valor emocional.

Davidson sempre ressalta suas raizes no programa de televisão em que estrela, fazendo piadas de lá, além de ter protagonizado no filme de 2020, “King of Staten Island.” Recentemente, ele impressionou os moradores do borough ao levar sua namorada famosa, Kim Kardashian.

Jost, que é casado com Scarlet Johansson, descreve em sua biografia sua experiência comutando entre Manhattan e Staten Island através da barca. Jost não mora mais em Staten Island.

Colin Jost e Pete Davidson (Foto: US Magazine)
Colin Jost e Pete Davidson (Foto: US Magazine)