Advogado tira dúvida dos leitores sobre imigração (#581)

0
1958

Colaboração de Renata Castro, advogada com escritório em Weston e Naples (FL), telefone (954)888.6383.

Em 2010 ainda solteiro fui para os Estados Unidos com visto F1, fiquei por três 3 anos e me formei em Business/Management. Me casei e optei por não utilizar o OPT na época. Qual seria a melhor possibilidade para ir com minha esposa para os EUA e tentar imigrar em definitivo? Tenho visto que o visto H1b é uma possibilidade, existe algum outro caminho? Muito obrigado.
Renata –
Hoje o seu caso apresenta opções limitadas de imigração para os EUA. Caso você tenha capital para investir, o visto EB-5 que permite que você e sua esposa recebam um green card mediante um investimento de US$ 500 mil que gere 10 ou mais novos empregos, pode ser uma opção. O H1B é uma alternativa, sem sombra de dúvidas, mas é preciso ter uma oferta de trabalho antes de iniciar o processo. Boa sorte!

Fiquei 1 mês e 7 dias além do permitido I-94 que era de seis meses, tenho empresa nos EUA e há três anos minha irmã deu entrada no meu green card. Minha pergunta é, se eu for de férias posso ter problemas na imigração? Também não cancelei minha placa do carro, isso é crime?
Renata –
Não há como dizer se você terá problemas ou não, o fato é de que há grande possibilidade que você seja questionado durante sua próxima entrada nos Estados Unidos. A questão da placa não é necessariamente um crime, mas você deve tomar medidas necessárias para cancelamento para evitar dores de cabeça com o Departamento de Trânsito. A imigração dos EUA tem estado mais criteriosa com as pessoas que eles deixam entrar nos EUA em virtude da crise no Brasil e do êxodo de brasileiros, portanto, venha preparado.

Entrei nos Estados Unidos pelo México em 2004 fiquei até 2009. Quando eu entrei me deram uma carta de deportação. Gostaria de saber o que eu preciso fazer para limpar meu nome e poder tirar um visto e entrar legalmente dessa vez.
Renata –
A grande questão no seu caso não é a carta de deportação em si, mas sim a sua data de saída dos EUA. Quando uma pessoa reside nos EUA ilegalmente por mais de um ano, ela está sujeita a uma punição de 10 anos para pedidos de vistos ou benefícios de reentrada. Não há muito que possa ser feito, a não ser esperar. Caso você tenha um parente que resida legalmente nos EUA, dependendo do grau de parentesco, é possível que você qualifique para um perdão, mas que é dificilmente aprovado.

Minha filha de 11 anos é cidadã americana. Nasceu no Brasil e ainda não conhece os EUA. Mas por seu pai ser brasileiro e também cidadão americano, ele pôde aplicar a cidadania para ela e seus documentos já foram recebidos desde maio de 2014. Não sou casada com o pai da minha filha. Sei que ela poderá aplicar esta cidadania para mim somente após os 21 anos, mas tenho a intenção de morar com a minha filha nos EUA. Como ela é menor de idade e totalmente dependente de mim, seria possível uma solicitação junto ao Consulado Americano de uma permissão de permanência e trabalho para mim, work permit? Tenho o visto americano B1/B2 que vencerá em jan/2022.
Renata –
Infelizmente sua filha só poderá pleitear algum benefício imigratório para você quando ela completar 21 anos. O fato de ela ser menor de idade, e que você gostaria que ela residisse nos EUA não dá direito a obtenção de autorização de trabalho, ou qualquer outro benefício. O visto B1/B2 somente permite a entrada nos EUA para objetivos de turismo.

Sou brasileiro e estou estado de CT no USA e foi cometido pelo uma picada de carrapato De lyme e estou em tratamento tomando antibiótico. Estou aguardando os exames, mas meu visto está vencendo. Como posso proceder? Tem alguma possibilidade de continuar meu tratamento aqui no Estados Unidos?
Renata –
Você pode pedir uma extensão do seu período de permanência nos EUA, mas precisará mostrar que tem como pagar pelo tratamento, e que você tem dinheiro para se manter. Infelizmente não há como prever se o pedido será aprovado ou não, e o mesmo pode demorar até 10 meses para que uma decisão seja emitida. Existem riscos inerentes a negação do pedido, já que se o seu pedido for negado após o período de validade da sua I-94 você terá ficado no país irregularmente de maneira retroativa, o que pode complicar entradas futuras.