Aos 82 anos, morre o ator Burt Reynolds, símbolo sexual da década de 1970

A causa do óbito não foi divulgada. Artista faleceu num hospital da Flórida

0
2382
Burt Reynolds em cena de “Agarra-me se puderes” (Hal Needham, 1977)
Burt Reynolds em cena de “Agarra-me se puderes” (Hal Needham, 1977)

Símbolo do de virilidade de Hollywood, morreu, aos 82 anos, o ator Burt Reynolds, informou seu representante Erik Kritzer à imprensa na tarde desta quinta-feira (6). O artista faleceu no Jupiter Medical Center, hospital situado na cidade de Jupiter, na Flórida. A causa do óbito não foi divulgada. As informações são do Portal UAI.

A saúde de Reynolds inspirava cuidados já há algum tempo. Nos últimos dez anos, ele teria sido internado um bom número de vezes por problemas que vão de sintomas acentuados da gripe ao entupimento de artérias. Em 2009, o ator passou ainda por uma clínica de reabilitação para tratar o vício em álcool e outras substâncias químicas.

Veterano do cinema, Burt Reynolds coleciona atuações memoráveis em filmes como Striptease (Andrew Bergman, 1966), Amargo Pesadelo (John Boorman, 1972), Agarra-me se puderes (Hal Needham, 1977) e Boogie Nights – Prazer Sem Limites (Paul Thomas Anderson, 1997). Este último trabalho rendeu a ele uma estatueta do Globo de Ouro e uma indicação ao Oscar.

Outra marca de sua trajetória é o fato de ter dispensado o uso de dublês em muitos de seus filmes de ação – gênero que o consagrou. Protagonista de inúmeras comédias românticas como Encontros e Desencontros (1979), A Melhor Casa Suspeita do Texas (1982), Amigos Muito Íntimos (1982) e Meus Problemas com as Mulheres (1983), o ator era tido o próprio retrato do “mulherengo americano”.

Famosas ficaram também algumas de suas recusas a papeis importantes, como Han Solo (de Star Wars), interpretado por Harrison Ford; Garrett Breedlove (de Laços de Ternura), personagem vivido por Jack Nicholson, e John McClane (de Duro de Matar), que acabou ficando para Bruce Willis.