Autoridades confirmam nove mortes e 152 desaparecidos em desabamento de prédio em Surfside

Equipes de resgate contam com mais de 400 pessoas, que alternam o trabalho dia e noite, para tentar resgatar os desaparecidos

0
707
Equipes de resgate trabalham dia e noite para tentar localizar sobreviventes (Foto ABC News)

Pelo menos nove pessoas morreram e outras 152 estão desaparecidas depois que um prédio de 12 andares desabou na madrugada de quinta-feira (24) em Surfside (FL). Mais de 400 pessoas, entre bombeiros, paramédicos e policiais, estão trabalhando dia e noite, em horários alternados, para tentar resgatar as pessoas debaixo dos escombros. Com o passar das horas, a esperança das famílias em encontrar sobreviventes diminui.

Jimmy Patronis, da Florida State Fire Marshal, disse que o trabalho de resgate realizado na Champlain Tower South, onde aconteceu a tragédia, é o maior já feito no Estado, quando não se trata de furacões.

“Esse é o maior esforço que já vimos na história do estado da Flórida para o resgate de vítimas”, disse.

Patronis disse que as equipes retiraram um pedaço de concreto que pesava 12 mil pounds e que havia fogo embaixo da estrutura. “Estamos conseguindo remover partes maiores e controlar os incêndios pontuais. O trabalho de resgate está mais eficiente”.

Equipes de resgate do Méximo e de Israel estão em Surfside para auxiliar nos trabalhos.

A causa da queda do prédio ainda é desconhecida, mas novos detalhes vieram à tona neste fim de semana sobre um relatório de um engenheiro de 2018, que avisou sobre “a precariedade da estrutura”. O relatório apontou que seriam necessários pelo menos $9 milhões na reforma do edifício, mas essa reforma não foi feita.

Vítimas identificadas

Nove vítimas fatais foram retiradas dos escombros até o momento. A primeira vítima identificada foi Stacie Fang, de 54 anos. Ela era mãe de Jonah Handler, o jovem que foi retirado com vida dos escombros no dia do colapso do edifício.

As outras vítimas foram identificadas como: Antonio Lozano, de 83 anos, Gladys Lozano, de 79, Manuel LaFont, de 54 anos; Leon Oliwkowicz, 80; Luis Bermudez, 26; Anna Ortiz, 46; e Christina Beatriz Elvira, 74. Outras duas vítimas ainda não foram identificadas pelas autoridades.

Uma criança brasileira de cinco anos está entre os desaparecidos. A informação foi confirmada pelo Consulado-Geral do Brasil em Miami.