Brasileiro é deportado depois de 28 anos vivendo em New Hampshire

‘Sem querer eu entreguei meu pai para a Imigração ao dar entrada em sua cidadania’, lamenta a filha do paulista

0
9764
Elvecio Viana mora há 28 anos nos EUA
Elvecio Viana morava há 28 anos nos EUA

Os advogados do brasileiro Elvécio Pereira Viana não conseguiram reverter sua deportação e ele embarcou para o Brasil no último dia 19, depois de viver 28 anos em New Hampshire. Eles haviam conseguido evitar a deportação na Corte Federal de Massachusetts horas antes de embarcar no voo para o Brasil, mas outro recurso foi negado.

O paulista de 65 anos trabalhava como motorista de uma fábrica de armários de cozinha lutou, mas não conseguiu evitar a sua deportação mesmo tendo uma filha naturalizada e netos americanos.

“Estou de coração partido, porque acho que foi injusto”, diz Cristina Viana, filha de Elvécio. “De repente, quando você faz tudo certinho, dão só uns dias para ele sair do país como se ele fosse criminoso. Isso dói muito.”

Elvecio Viana, de acordo com o que diz seu advogado, não cometeu nenhum crime. Nascido em São Paulo, ele se mudou para os EUA em 1990.

Sua filha veio mais de uma década depois para ficar com o pai e acabou se casando com um americano, com quem tem agora duas filhas pequenas. Quando se tornou cidadã americana, Cristina tentou regularizar a situação do pai, que viveu durante anos renovando seu visto de trabalho.

“Eu acabei entregando meu pai para eles quando fiz a petição para mudar o status, porque, se não fosse por isso, não saberiam que ele estava aqui ainda”, ela conta à Folha de S. Paulo. “Só não me sinto culpada porque sei que fiz o melhor para reverter essa situação.”

Elvecio, que passou a última noite no País onde construiu toda a sua vida se despedindo da família e dos amigos, não quis dar entrevistas.

Seu advogado, Robert McDaniel, que vem representando uma série de imigrantes em situação semelhante no país, continua trabalhando no caso para tentar reverter a deportação de Elvecio, mas, enquanto a resposta não chega, o cliente ficará longe dos EUA.

O advogado George Bruno lamentou a situação. “Ele é mais uma vítima da máquina de deportação de Trump”. Bruno disse que Elvécio entrou nos EUA com visto e renovou o visto de trabalho por anos, mas nunca teve problemas com a Justiça.

Segundo o U.S. Immigration and Customs Enforcement (ICE), imigrantes são deportados quando há uma ordem de deportação expedida por um juiz federal previamente.  (Com informações da Folha de S. Paulo).