Cartas

0
1282

Neusa Martinez repercute

Caríssima Neusa:
Em primeiro lugar, parabéns pela sua matéria sobre os deportados que publicou junto com minha entrevista no AcheiUSA. Tenho acompanhado o jornal pelo site.
Abraços e obrigado por tudo.
Senador Hélio Costa – Brasília, DF

Neusa,
Parabéns pela entrevista com Hélio Costa, ficou muito boa. Enviei a vários amigos do Brasil.
Rosália Galdi – Miami, FL

Cara Neusa,
Foi karma mesmo você não me ter deletado de sua lista; aliás, foi uma benção. Adoro suas matérias, a entrevista com Esperança mais poderia ser um filme do que realidade. Me pergunto se suas matérias saem na mídia local, lá no Brasil seriam merecedoras de prêmio Nobel! Me pergunto o que posso contribuir, como ajudar meu povo, o que há para se fazer daqui… Fui abençoada em minha vida em todos os sentidos, inclusive fui a Boston estudar pós-graduação. Depois voltei ao Brasil com sonhos de contribuir muito para o meu país, porém minhas chances estavam aqui e regressei. Eu adoro os EUA, mas meu coração e minha alma são brasileiros e fico transtornada quando leio essas matérias e penso que não faço nada para ajudar. Alguma sugestão? Abraços,
Soraya Figueiredo – Miami, FL

Neusa
Obrigado pela força. O e-mail de divulgação sobre a matéria com a Esperança está ótimo. Depois reclamo com Sérgio, que dobrou a ponta de meu quadro. Brincadeira, ficou bonito, as cores harmonizaram bem. E a matéria também está muito boa. Você continua a número 1. Um abraço
Pedro Lázaro – Miami, FL

Olá Neusa!
Aqui é a Tatiana, nos encontramos algumas vezes no restaurante italiano em que eu trabalhava. Queria te dar os parabéns pela entrevista com a garota que quer vir para cá. Sempre converso com meus amigos no Brasil sobre isso, e agora com sábias palavras sua matéria vem retratar uma realidade cada vez mais crescente entre os brasileiros.
Bom, ficam aqui mais uma vez os meus parabéns por esta abordagem e pelo seu excelente trabalho.
Um abraço,
Tatiana – Fort Lauderdale, FL

Bom dia Neusa,
Minha admiração pelo seu talento é real e fico feliz em ver e ler sua coluna, que é uma mistura de paixão com realidade. Não esqueça jamais de ser artista, pois é esta essência que te inspira a escrever… Eu e meu marido tivemos muito prazer em revê-la esta semana. Um forte abraço,
Fernanda – Miami, FL

Oi Neusa!
Nós não nos conhecemos pessoalmente, mas sei que temos muitas coisas em comum: ambas somos brasileiras e ambas somos sumamente interessadas nas jornadas dos brasileiros em busca do viver no exterior. Eu leciono Psicologia no MDCC- Kendall e em breve mudarei para Jacksonville, Florida, pois meu marido está se aposentando e quer sair desse tráfego louco de Miami. Você poderia me informar algo sobre brasileiros, mercearias, restaurantes, etc. naquela cidade? Ficaria muito agradecida por qualquer informação.
Edite Vickers – Miami, FL

Neusa,
Parabéns pela matéria “A Esperança incessante do povo brasileiro”. Super bem escrita e reportada. Beijo,
Desiree B. – Miami, FL

Oi Neusa, tudo bem?
Parabéns pela reportagem sobre os brasileiros que querem sair do Brasil, muito bem feita!
Sempre te acompanho pelas matérias. Parabéns!! Beijo grande,
Ana – Belo Horizonte, MG

Oi Neusa!
Parabéns pela sua coluna!!! Tenho lido suas matérias e realmente são muito boas. Parabéns!!! Obrigada,
Monica Bittencourt – Miami, FL

Oi Neusa
Eu amei a matéria que você fez sobre o Cinema Garden! Já repassei a página do site pra um monte de gente. Ficou uma graça. Sua idéia de fazer um roteiro inicial, foi muito legal. Um beijo e conte sempre comigo,
Silvana Mandelli – Miami, FL

Oi Neusa,
Meu nome é Douglas. Eu estou fazendo mestrado em trilha sonora na University of Miami. Gostaria de saber se você tem alguma dica para eu conhecer os filmmakers brasileiros que estão em Miami. Eu gostaria de fazer uns contatos, mostrar meu trabalho e de repente fazer música para algum(s) dos futuros filmes. Muito obrigado,
Douglas Fonseca – Miami, FL

Ola Neusa,
Muito legal, como sempre. Parabéns outra vez! Espero que você continue seu trabalho, pois é muito bem feito e a comunidade merece coisas bens feitas e bem escritas assim.
Sheila Thomson – Miami, FL

Neusa,
Fui no Cinema Garden e foi o máximo! Já avisei ao pessoal da TAM que vou ajudá-los a vender os próximos ingressos! Um charme assistir ao filme deitada em cobertores com almofadas vermelhas!!!! Abraço,
Patricia Kroeff – Miami, FL

Neusa:
Parabéns para o AcheiUSA e pelas suas entrevistas. É maravilhoso o seu trabalho.
Um grande abraço,
Danuzio Lima – Miami, FL

Rico Fábio em Sampa

Poxa, meninos e meninas do AcheiUSA (amigo Jorge e turma):
Fiquei emocionado com a página, sério mesmo, me arrepiei. Obrigado pela fidelidade ao texto. É muito bom ver um pensamento nosso em forma de uma página como essa, e num jornal como o AcheiUSA. (…) Assim que eu tiver assunto e inspiracao, mando outro texto, ok?
Abraços e sucesso a todos, e um beijo grande, ziriguidum.
Ricardo Fábio – São Paulo, SP

Ricardo,
Li hoje sua matéria no AcheiUSA e confesso que me identifiquei com muita coisa que estava escrita lá. Eu o considero um herói: você agüentou 10 anos; eu, 3 meses. A palavra-chave na minha experiência em Miami foi SAUDADE. Da família, dos amigos, do brazilian way of life. Voltei porque não agüentava mais aquela vida de pintor de paredes, de bussboy, de morto-vivo. Agora, vivo morto de cansaço do ritmo da metrópole, mas ainda encontro tempo para visitar meus amigos (inclusive um que voltou há 3 meses de Miami com mil histórias do Cirque du Soleil na bagagem), dar-lhes um abraço, olhá-los nos olhos… e cair na gargalhada. O riso solto continua sendo o maior patrimônio dos brasileiros que aqui estão. Que cada um siga sua intuição, seus valores, suas crenças (no dinheiro, no amor, na descrença). Só sei que os lugares mudam, mas os sonhos não. Sejam felizes onde quer que estejam. Estejam onde quer que sejam felizes. Parabéns ao pessoal do jornal AcheiUSA, por ceder um espaço como esse, para quem tem o que dizer.
Paulo Scharlack – Sao Paulo, SP

Fé no Periscópio

Prezado Al Sousa:
Adorei a sua coluna sobre a fé, no Periscópio. Meu problema é o seguinte: acreditar em quê? Não tenho como me definir, mas acho que o termo que mais me qualifica seria “agnóstico”. Copiando os versos de Fagner: “Hoje só acredito no pulsar das minhas veias e aquela luz que havia no passado, há muito me deixou”
Roberto de Sousa – Miami, FL
Al Sousa responde

Caro Roberto:
Quando você indaga em que acreditar está manifestando seu agnosticismo. Realmente, é muito difícil encontrar um sentido lógico porque existimos. Mas o fato é que o universo existe e nós fazemos parte dele. Como disse o velho Descartes: “Penso, logo existo”. Partindo desse princípio, automaticamente chega-se à conclusão de que tudo existe independentemente de nossa vontade ou crença. Encontrar a razão do porquê não pode ser provado matematicamente e sendo assim temos que partir para a metafísica. Os universos são parte de um universo maior e assim sucessivamente, sem limites. A força criadora desse conjunto é o grande mistério. O que chamamos de Big Bang foi o ponto de partida de um fenômeno criado por algo indefinível que chamamos de Deus. Existe uma ordem matemática regendo com equilíbrio todos os fenômenos que ocorrem em todos os universos. Logo, tudo que existe foi criado obedecendo uma ordem de fatores.
Quando os cientistas não encontram explicação plausível para, por exemplo, definir o que havia antes do Big Bang e ou o que o provocou, apelam para a metafísica, deduzindo que uma força consciente regia todos os atos. Meu amigo, só há uma explicação para tudo isso: a existência de uma força divina. Se me pedir para definir exatamente o que seja me será impossível responder. Mas posso afirmar sem sombra de dúvida que deve haver uma explicação. Acontece que somos infinitamente diminutos em relação a esse grande mistério que jamais seremos capazes de entender. O melhor é mesmo procurar sentir essa força divina dentro de nós.
A fé não é mais nada do que a crença em algo aparentemente insubstancial, mas que serve de alavanca para criar-se motivações verdadeiras que resultam muitas vezes em fenômenos positivos inexplicáveis. Obrigado pelo seu e-mail e escreva sempre.
Um abraço,
Al Sousa

Lambaeróbica

Oi, Júnior
Aqui e a Mirelly, não sei se lembra de mim, mas eu já dancei com o Murilo, muito tempo atrás. Bom, se não lembra não faz mal, é que eu estava interessada em saber se você está dando aulas de lambaeróbica em algum lugar. Eu estava a fim de voltar a dançar, só que estou meia desinformada. Bom, se estiver, me fala o local e horário? Obrigada, Beijos
Mirelly – Miami, Flórida