Definidos os semifinalistas da Copa do Brasil

0
2172
Diego e Everton Ribeiro erraram suas cobranças de pênaltis na decisão contra o Athletico-PR
Diego e Everton Ribeiro erraram suas cobranças de pênaltis na decisão contra o Athletico-PR (Foto: Wikimedia Commons)

Dois clubes do Rio Grande do Sul (Internacional e Grêmio), um de Minas Gerais (Cruzeiro) e um do Paraná (Athletico Paranaense) decidirão quem será o campeão da Copa do Brasil edição 2019.  Pela terceira vez em 30 anos de história – o torneio começou a ser disputado em 1989 -, não haverá nenhuma equipe de São Paulo ou do Rio de Janeiro entre os semifinalistas. As eliminações de Flamengo e Palmeiras, tidos como os clubes mais ricos do país, surpreenderam, embora ninguém possa tirar o mérito do Furacão e do Colorado, autores das proezas, após decisão de pênaltis.

Apontar um favorito fica difícil, mas a verdade é que os quatro concentrarão seus esforços nesta competição, apesar de também estarem disputando a Copa Libertadores da América e o Campeonato Brasileiro. Afinal, as semifinais serão disputadas em agosto e as finais em setembro. Duas destas equipes têm quatro partidas para ir às finais e apenas uma soltará o grito de campeão.

A quarta-feira, 17 de julho, foi dia de risos e choros para torcedores de oito times. As decisões começaram mais cedo para Atlético-MG x Cruzeiro e Bahia x Grêmio.

Bahia x Grêmio

A Fonte Nova estava engalanada com o sonho de ver o Bahia se tornar semifinalista da Copa do Brasil. Sua fanática torcida faz sua parte ao bater o recorde de público desde sua reinauguração para a Copa de 2014.  Não foi por falta de apoio que o Bahia ficou pelo caminho na Copa do Brasil. Embalada pelo bom momento da equipe na temporada, a torcida bateu o recorde da Arena Fonte Nova após a reforma para a Copa do Mundo de 2014. Foram registradas 46.663 pessoas presentes. A renda foi de R$ 1.349.590,50.

Porém, o que era esperança se transformou em frustração após o golaço de Alisson marcado aos 18 minutos do segundo tempo. Matheus Henrique dominou a bola no meio-campo e Alisson abriu quase na linha lateral pelo lado direito. O passe do volante foi milimétrico, na corrida do atacante. Alisson entrou na área, passou por Moisés e Artur Caíke e finalizou rasteiro, no contrapé de Douglas.

Como sempre, houve muita intervenção do VAR, o árbitro de vídeo, porém, as decisões não foram confirmadas e o placar não se alterou. E o Grêmio carimbou sua presença nas semifinais da Copa do Brasil 2019. Por sinal, o Tricolor gaúcho possui um recorde invejável. Em 30 anos de disputa, o Grêmio se destacou em 14 delas, incluindo 2019. O Imortal foi campeão em cinco edições (1989, 1994, 1997, 2001 e 2016), vice em três delas e semifinalista seis vezes, sendo que este ano pode chegar às finais.

Agora, o Grêmio enfrentará o Athletico-PR, que venceu o Flamengo. Os jogos da semifinal estão marcados para 7 e 14 de agosto. Os mandos de campo ainda não foram definidos.

As duas equipes voltam a jogar pelo Campeonato Brasileiro no sábado (20). O Bahia recebe o Cruzeiro na Arena Fonte Nova. O Grêmio terá o clássico contra o Inter, no Beira-Rio. Na tabela, o time gaúcho está na frente por um gol. Ambos têm 14 pontos, mas o Grêmio possui saldo zero e fica em 10º. O Bahia tem um gol negativo de saldo e ocupa a 11ª posição.

Atlético MG x Cruzeiro

Torcedores do Atlético-MG aplaudiram a equipe, mesmo sendo desclassificada da CB (Foto: Cristiane Mattos/Wikimedia commons)
Torcedores do Atlético-MG aplaudiram a equipe, mesmo sendo desclassificada da CB (Foto: Cristiane Mattos/Wikimedia commons)

Foi no sufoco, mas o Cruzeiro conseguiu a classificação às semifinais da Copa do Brasil. Depois de vencer o Atlético-MG na ida, por 3 a 0, no Mineirão, o time foi derrotado pelo maior rival por 2 a 0 no Independência (gols de Cazares e Patric), e avançou pela quarta vez consecutiva à penúltima fase do torneio. O adversário celeste será o Internacional, que eliminou o Palmeiras, nos pênaltis, em Porto Alegre. O sorteio dos mandos de campo das semifinais será na segunda-feira (22). O clássico do Horto foi marcado por belos gols, expulsões de lado a lado e um tento cruzeirense anulado com auxílio da arbitragem de vídeo.

Apesar da eliminação, os torcedores do Galo aplaudiram a empenho da equipe, a exemplo do que também fizeram os torcedores do Bahia. No Independência, vimos um espetáculo inusitado, com os torcedores atleticanos batendo palmas para seus esforçados jogadores e os torcedores cruzeirenses comemorando a classificação junto com os atletas de seu time. Aliás, o Cruzeiro está em busca do terceiro campeonato consecutivo, porque o time de Mano Menezes venceu as duas últimas edições.  A Raposa celeste é a maior vencedora da Copa do Brasil, com seis títulos, além de dois vices e cinco semifinais.

Passado o clássico, é hora de os dois times voltarem as atenções para o Campeonato Brasileiro. No sábado (20), o Cruzeiro visita o Bahia em Salvador. O Atlético-MG joga no domingo (21), contra o Fortaleza, no Horto. Ambos os jogos são válidos pela 11ª rodada.

Flamengo x Athletico Paranaense

Com uma atuação empolgante no segundo tempo e participação decisiva de Santos nos pênaltis, o Athletico-PR tirou o Flamengo da Copa do Brasil e calou quase 70 mil flamenguistas. Após 1 a 1 no tempo normal, goleiro garante vaga ao pegar cobranças de Diego e Everton Ribeiro. Vitinho também desperdiçou pelo time carioca. O Furacão perdeu apenas uma, com Bruno Nazário, mas venceu a disputa por 3 a 1.

Os gols saíram no segundo tempo. O Flamengo abriu em bela jogada de Vitinho, que cruzou, e Gabigol marcou. Num contra-ataque muito veloz, Bruno Nazário encontrou Rony, que deu números finais ao placar no tempo normal.

Terminada a disputa por pênaltis, no centro do gramado, os jogadores do Furacão ironizaram a comemoração de Gabigol, que costuma forçar os muques a cada gol marcado pelo Flamengo. O “cheirinho” também foi lembrado pelos rubro-negros do Paraná. O Athletico-PR tem apenas um vice campeonato, em 2013, onde perdeu o título justamente para o Flamengo.

Pelo Brasileirão, Athletico vai a Maceió enfrentar o CSA no Estádio Rei Pelé, no sábado (20), enquanto o Flamengo visita o Corinthians em São Paulo, no Itaquerão, no domingo (21).

Internacional x Palmeiras

O veterano Andres D’Alessandro comandou o Internacional na vitória sobre o Palmeiras e desfalca o Inter na semifinal (Foto: Gabriel Heusi)
O veterano Andres D’Alessandro comandou o Internacional na vitória sobre o Palmeiras e desfalca o Inter na semifinal (Foto: Gabriel Heusi/Wikimedia Commons)

Em um jogo dramático, com duas intervenções do VAR no tempo normal, o Internacional conquistou nos pênaltis a vaga nas semifinais da Copa do Brasil. Depois da vitória por 1 a 0, devolvendo o placar em São Paulo, o Colorado venceu o Palmeiras por 5 a 4 nas cobranças, no Beira-Rio. O adversário será o Cruzeiro, nos dias 7 e 14 de agosto. O Internacional venceu apenas uma vez a Copa do Brasil em 1992, foi vice em 2009 e chegou a quatro semifinais.

O Internacional acelerou o jogo no primeiro tempo e mereceu a vantagem que levou para o intervalo. E ela poderia ter sido maior. Rodrigo Moledo, aos 11 minutos, e Guerrero, aos 26, pararam em boas defesas de Weverton. O Palmeiras errou praticamente todos os contra-ataques. O Verdão teve espaços, mas errou passes no campo ofensivo e pouco finalizou. Os gaúchos chegaram ao gol aos 40. Patrick pegou rebote na entrada da área e bateu. A bola desviou em Luan e encobriu o goleiro. O Alviverde ainda poderia ter empatado aos 42. Em contra-ataque, Dudu chutou para ótima defesa de Marcelo Lomba. No segundo tempo, houve mais equilíbrio, mas o time da casa sempre controlou a partida.

Pelo Brasileirão, o Internacional faz o clássico contra o Grêmio, sábado, no Beira-Rio. O Palmeiras visita o Ceará, no mesmo dia e horário, no Castelão, em Fortaleza.

Torcidas indignadas. Estão certas?

Assim como os flamenguistas, os palmeirenses estão criticando a desclassificação da equipe. Flamengo e Palmeiras são as equipes mais ricas do futebol brasileiro e as que possuem elencos mais qualificados. Tanto que o Verdão lidera o Brasileirão, com 26 pontos, e o Mengo é o terceiro colocado, com 20 pontos. Torcedores e jornalistas admitem que os dois times devem ser protagonistas no Brasileirão, mas questionam seu poder de decisão nos chamados mata-mata.

Em minha opinião, isto é discutível. Como as eliminações ocorreram nas séries de penalidades máximas, caso Flamengo e Palmeiras tivessem vencido, os discursos seriam outros. Aí, os “analistas” provavelmente apontariam as “fragilidades” de Inter e Furacão. Ou seja, analisa-se muito em cima de resultados.

Na primeira partida em São Paulo, o Palmeiras dominou amplamente o Internacional e apenas não venceu por mais de 1 a 0 pela falta de contundência do ataque e pela má jornada de Deyveson. Já em Porto Alegre, o panorama mudou. O Colorado somente não venceu por mais graças à ótima atuação do goleiro Weverton e da defesa palmeirense.

O mesmo roteiro se verificou na série dos rubro-negros. Em Curitiba, o Athletico-PR predominou e merecia a vitória, no entanto, o Flamengo conseguiu sair da Arena da Baixada com empate em 1 a 1. O placar se repetiu no Maracanã, embora o Flamengo tenha se apresentado melhor. Ou seja, cobranças de penalidades selaram os destinos dos quatro times.

Particularmente, não sou fã de decisão por pênaltis. Acho que deveria constar no regulamento da Copa do Brasil uma prorrogação de 30 minutos, com dois tempos de 15, e só aí, ao prevalecer a igualdade, a decisão iria para as cobranças de penalidade máxima. Porém, como não redijo os regulamentos e não sou dirigente de clube, vale o que está escrito. Parabéns a Inter e Athletico-PR e cabeça erguida para Flamengo e Palmeiras.