Local

DeSantis marca para fevereiro execução de prisioneiro que matou mulher em 1990

Atualmente, a Flórida tem 303 condenados, sendo 300 homens e três mulheres

Donald David Dillbeck está programado para morrer em 23 de fevereiro (foto: Florida Department of Corrections)
Donald David Dillbeck está programado para morrer em 23 de fevereiro (foto: Florida Department of Corrections)

O governador Ron DeSantis assinou nesta segunda-feira (23) a sentença de morte de Donald David Dillbeck, de 59 anos, condenado por matar uma mulher em Tallahassee, na Flórida, em 1990. A execução por injeção letal será no próximo dia 23 de fevereiro e ocorre quatro anos desde que Gary Ray Bowles, um serial killer que ficou conhecido como “o assassino da I-95″ foi morto, também com autorização de DeSantis.

O próximo condenado já cumpria prisão perpétua pelo assassinato do vice-xerife do condado de Lee, Dwight Lynn Hall, em 1979. Na ocasião, o policial tentou impedi-lo de cometer um assalto e foi baleado duas vezes. Após 11 anos no regime fechado, David Dillbeck escapou da custódia enquanto participava de um programa de ressocialização e matou Faye Vann, a facadas, para roubar o seu carro. Por esse crime ele foi sentenciado a morte.

Na Flórida, o dia de cada execução é marcado pelo governador; diferentemente de outros estados, como no Texas, por exemplo, onde um tribunal determina as datas do óbitos. Atualmente, o Sunshine State tem 303 condenados, sendo 300 do sexo masculino e três feminino. O corredor da morte para os homens fica na  Florida State Prison , em Raiford, FL, e as mulheres estão alojadas em Lowell Annex, em Lowell, FL.

Recentemente, DeSantis criticou a decisão do júri do condado de Broward de não condenar Nikolas Cruz à morte por matar 17 alunos e professores em uma escola de Parkland. 

Baixe nosso aplicativo