Ensino presencial retorna a Nova York no próximo ano letivo

0
447
Fachada de uma escola no West Village, bairro em Nova York (Foto: Sandra Colicino)
Fachada de uma escola no West Village, bairro em Nova York (Foto: Sandra Colicino)

Na segunda-feira, 24 de maio, o prefeito de Nova York Bill de Blasio anunciou que as escolas na cidade reabrirão para ensino presencial com capacidade total no próximo ano letivo, que iniciará em 13 de setembro de 2021.

“Nós não podemos ter recuperação total sem escolas com capacidade total,” declarou de Blasio durante um segmento no programa Morning Joe, da MSNBC.

A reabertura do maior sistema escolar do país sinaliza para uma reabertura econômica mais abrangente, visto que muitos pais poderão retornar ao local de trabalho sem a preocupação de ter que supervisionar o ensino remoto dos filhos. 

O anúncio da reabertura das escolas de Nova York aconteceu após o governador de Nova Jersey, Phil Murphy ter anunciado na semana passada a reabertura das escolas naquele estado para o próximo ano letivo. Outros estados que também já anunciaram o retorno às salas de aulas na maioria de seus distritos foram Florida e California, ainda que a opção de ensino remoto será oferecido de forma limitada. 

O prefeito acredita que as escolas terão capacidade de acomodar todos os estudantes, mesmo que regras de distanciamento social sejam requeridas de acordo com as diretrizes do CDC (Centers for Disease Control and Prevention). 

Apesar de praticamente metade da população da cidade, incluindo centenas de adolescentes, ter recebido pelo menos uma dose da vacina e de a vasta maioria dos docentes e funcionários das escolas públicas já estarem imunizados, ainda há muita ansiedade por parte dos pais no retorno presencial das escolas. 

Durante o ano letivo de 2020/21, a grande maioria dos alunos que recorreram ao ensino remoto era de alunos latinos e afro americanos, devido estes terem sido os grupos mais atingidos por COVID-19. 

A decisão de reabrir as escolas foi bem recebida pelo presidente do maior sindicato de professores de país, Michael Mulgrew, da United Federation of Teachers. Apesar do suporte, Mulgrew acredita que ensino remoto ainda deve estar disponível para um número limitado de alunos com problemas sérios de saúde, conforme coluna de sua autoria publicada na semana passada pelo The Daily News.

O ensino remoto, no entanto, conforme o plano traçado pelo prefeito, será utilizado apenas em dias de neve e para os dias de eleições. A cidade de Nova York terá primárias para prefeito e  vereadores no próximo dia 22 de junho.

The Late Show with Stephen Colbert retornará com audiência em junho

Entrada do Ed Sullivan Theater em Midtown, Manhattan, onde ocorrem as filmagens do Late Show With Stephen Colbert (Foto: Sandra Colicino)
Entrada do Ed Sullivan Theater em Midtown, Manhattan, onde ocorrem as filmagens do Late Show With Stephen Colbert (Foto: Sandra Colicino)

Mais um grande sinal de que Nova York está voltando ao normal. A produção do programa The Late Show With Stephen Colbert já anunciou que retornará com audiência nos estúdios do histórico Ed Sullivan Theater em Midtown Manhattan no dia 14 de junho. Ingressos para filmagem do programa já estão esgotados até 1º de julho. 

No dia 12 de março de 2020, a CBS, rede de televisão que transmite o programa, anunciou a suspensão da filmagem de programas da rede, devido ao lockdown imposto pelas autoridades  de saúde a fim de prevenir a transmissão do novo corona vírus. 

Isso foi um dos sinais de como a vida na cidade seria transformada nos meses subsequentes. Alguns dias depois, os programas de televisão que tipicamente tinham audiência, começaram suas produções de forma remota. 

Agora, o retorno da produção com audiência é mais um sinal de que Nova York está voltando ao normal. A noticia de que o público retornará aos estúdios foi bem recebida pelo prefeito Bill de Blasio na sua coletiva de imprensa do dia 24 de maio, segunda-feira:

“Uma audiência de pessoas vacinadas em breve poderá apreciar um dos melhores comediantes do nosso tempo. Não há como parar Nova York. Não há como parar Stephen Colbert,” afirmou de Blasio.

Para que os 400 lugares da audiência sejam preenchidos, será necessário que os participantes apresentem evidência que estejam completamente vacinados. Ser completamente vacinado significa que a pessoa recebeu a segunda dose há 2 ou mais semanas.

No seu programa de segunda-feira, 24 de maio, Stephen Colbert brincou que vacinas no Ed Sullivan Theater, onde o programa é filmado, são obrigadas desde de 1964, desde o surto da Beatllemania, em referência à histórica apresentação dos The Beatles neste teatro. No mesmo programa, o apresentador recebeu seu primeiro convidado em pessoa, o ator John Krasinski, que promovia seu novo filme, A Quite Place Part II.

The Late Show With Stephen Colbert não é o único programa a retornar com audiência em capacidade total. No último sábado, o Saturday Night Live foi ao ar no encerramento da temporada com uma audiência total de pessoas vacinadas. The Tonight Show With Jimmy Fallon, que já tem trazido uma pequena audiência aos estúdios da NBC, também já tem planos de trazer seu público de volta, porém sem data definida ainda.

Conheça formas inusitadas de convencer nova yorkinos a se vacinarem

Ingressos para jogos de basebol? Por que não? Uma semana de passe de metrô? Sim, por favor! Viagem de ida e volta para qualquer lugar servido pelos trens do estado? É só escolher! Ingresso para o Lincoln Center, Jardim Botânico e o Aquário de Nova York? Talvez as pessoas que frequentam esses lugares já tenha recebido a vacina. Até cachorro quente do Nathan’s está entre as opções.

Em meados de abril, a noticia de que a vacina da Johnson & Johnson apresentou sérios efeitos colaterais em um número muito pequeno de mulheres foi o suficiente para desacelerar a campanha de vacinação contra COVID-19. Como resultado, muitos estados estão buscando formas de incentivo a fim de que mais pessoas possam ser vacinadas. 

Entre as iniciativas do estado, o governador Andrew Cuomo anunciou no começo de mês de maio diretrizes para o público com intenção em assistir jogos de basebol no estádio. Os assentos estão sendo divididos entre vacinados e não vacinados. Para a ala dos não vacinados, somente é permitido 33% de capacidade, com distanciamento social. Se alguém quiser se vacinar no estádio, ganho un ingresso para assistir ao jogo. Todos devem usar máscara.

Já a cidade de Nova York está oferecendo ingressos para o Lincoln Center, o Aquário de Nova York, os Jardins Botânicos da cidade, o Zoológico, assinatura para o teatro publico da cidade, Brooklyn Cyclones, e as barcas do East River. 

O Nova Yorkino ainda pode clamar uma porção de batatas fritas no Shake Shack, um cachorro quente no Nathan’s ou um donut no Krispy Kreme, se apresentar o cartão de vacinação.

Até bilhetes de loteria estão sendo distribuídos em locais de vacinação a fim de incentivar pessoas a se vacinarem.

Apesar de todos estes benefícios, a campanha de vacinação mais forte está acontecendo em estações de metrô e trens em partes mais populosas do estado. A vacina oferecida é Johnson & Johnson, que requer somente uma dose, e os participantes ganham uma semana de passe de metrô ou viagem de ida e volta para qualquer lugar dentro do sistema de trem.

Até o momento, cerca de 53% dos adultos no estado de Nova York estão completamente vacinados.