Familiares questionam demora da polícia em agir para conter atirador de escola no Texas

Jovem teria ficado mais de 40 minutos dentro da escola antes de ser confrontado e morto por agentes

0
859
Agente do FBI caminha do lado de fora da escola Robb Elementary, depois que um atirador matou dezenove crianças e dois professores, em Uvalde, Texas, EUA, em 26 de maio de 2022. REUTERS:Marco Bello

A ação da polícia para conter o autor do massacre em escola do Texas está sendo questionada por familiares das vítimas. O jovem de 18 anos teria ficado 40 minutos dentro da escola – onde matou 21 pessoas – até ser contido e morto por agentes.

Os primeiros relatos de um homem armado se aproximando da escola apareceram por volta das 11h30 de terça-feira (24). Pouco depois de 1 da tarde, foi confirmada a morte do atirador, após ser baleado dentro de uma sala de aula da Robb Elementary School na pequena cidade texana de Uvalde, de cerca de 15 mil habitantes.

O diretor do Departamento de Segurança Pública do Texas, Steve McCraw, disse que cerca de “40 minutos ou mais” se passaram entre o momento em que o atirador abriu fogo contra um segurança e entrou na escola por uma porta dos fundos e o momento em que a equipe de patrulha da fronteira atirou nele.

Uma testemunha disse à agência Associated Press que as mulheres gritaram com os policiais para eles entrarem na escola. Mas o jovem de 24 anos, que estava do lado de fora da Robb Elementary School enquanto o massacre acontecia, disse que a polícia não entrou.

Javier Cazares, cuja filha foi morta no ataque, disse à agência de notícias que cogitou tentar entrar juntamente com outras pessoas porque a polícia “não fazia nada”.

Já as autoridades disseram que o atirador se trancou em uma sala de aula à qual os policiais lutaram para ter acesso.

O tenente Christopher Olivarez, do Departamento de Segurança Pública, disse à CNN que o atirador invadiu uma sala de aula onde “se trancou, criando uma barricada na porta, e começou a atirar em crianças e professores que estavam lá dentro”.