Farmacêutica Moderna inicia testes da vacina contra o HIV em humanos

Ao menos 56 voluntários saudáveis receberam a primeira dose da vacina em Washington, D.C;o imunizante usa tecnologia de RNA mensageiro, a mesma da vacina contra a covid

0
1028
Estima-se que quase 38 milhões de pessoas em todo o mundo - incluindo cerca de 1,3 milhão nos EUA - vivem com HIV (foto: Pixabay)
Estima-se que quase 38 milhões de pessoas em todo o mundo - incluindo cerca de 1,3 milhão nos EUA - vivem com HIV (foto: Pixabay)

A farmacêutica Moderna anunciou na quinta-feira (27), o início dos primeiros testes da vacina contra o vírus HIV em humanos. O HIV é o responsável por provocar a AIDS, doença potencialmente fatal que matou mais de 15 mil pessoas no EUA em 2019, de acordo com os Centers for Disease Control (CDC). Segundo a Moderna, o ensaio clínico está na fase 1 e terá a participação de 56 voluntários saudáveis da George Washington University School, em Washington, D.C. O imunizante, de acordo com a Moderna, é desenvolvido em parceria com a Iniciativa Internacional pela Vacina da Aids (IAVI) e o Scripps Research Institute, ambos nos EUA, e  usa tecnologia de RNA mensageiro, a mesma da vacina contra a covid-19.

O estudo vai estimular a produção de um determinado tipo de anticorpo chamado de células B, capaz de combater as variantes do HIV. A vacina pretende ensinar as células que fazem parte do nosso sistema imunológico a produzir esses anticorpos.

Estima-se que quase 38 milhões de pessoas em todo o mundo – incluindo cerca de 1,1 milhão nos EUA – vivem com HIV. O auge da epidemia de AIDS no mundo foi em meados da década de 1990 e, naquela época, ser diagnosticado com o vírus era considerado quase uma sentença de morte. Hoje, existe um coquetel de medicamentos que mantém o vírus sob controle, evitando que ele se reproduza no corpo e cause a AIDS. Mas os remédios disponíveis não matam todos os patógenos do organismo, apenas o suficiente para garantir qualidade de vida para o paciente, e impedir a transmissão.

Apesar de vários avanços no combate ao virus e de décadas de pesquisa, nenhuma vacina foi desenvolvida. Vários candidatos entraram em ensaios clínicos, mas falharam em fases posteriores. “Estamos tremendamente entusiasmados no projeto de vacinas contra o HIV com a plataforma de mRNA da Moderna”, disse Mark Feinberg, presidente e CEO da IAVI, em um comunicado. “A busca por uma vacina tem sido longa e desafiadora, e ter novas ferramentas em termos de imunógenos e plataformas pode ser a chave para fazer progressos rápidos em direção a uma vacina eficaz e urgentemente necessária”, completou. Os voluntários serão monitorados por seis meses por medicos infectologistas que irão aferir os resultados da vacina.

https://twitter.com/moderna_tx/status/1486702116102193161