Fazer faculdade tem idade? 

Estudar na melhor idade traz felicidade, bem-estar, saúde e ainda mantém os idosos atualizados tecnologicamente

0
410
Nilza:
Nilza: "Não existe esse conceito de idade" (Foto: Divulgação)

Quem proclama já ter passado da idade para começar a estudar, precisa ouvir a história de Maria Nilza Ferreira da Costa que, aos 77 anos, conquistou seu diploma universitário ao concluir o curso de Letras e, não satisfeita, está agora cursando pós-graduação em Metodologia do Ensino da Língua Portuguesa.  

O caso de Nilza, brasileira residente de Connecticut, Estados Unidos, pode até parecer raro para alguns desavisados, mas cada vez mais conquista espaço nas plataformas digitais de boas notícias e nas instituições de ensino superior, que já reconhecem esta movimentação e incentivam essa parte da população a voltar a estudar. 

A verdade é que a população com mais de 65 anos está crescendo mais rápido do que todas as outras faixas etárias. De acordo com dados da World Population Prospects (Revisão de 2019), até 2050, uma em cada seis pessoas no mundo terá mais de 65 anos (16%), contra uma em 11 em 2019 (9%). No ano de 2018, pela primeira vez na história, o número de pessoas com mais de 65 anos ultrapassou o de crianças menores de cinco anos de idade em todo o mundo. E tem mais, a população de indivíduos com mais de 80 anos deve triplicar, de 143 milhões em 2019 para 426 milhões em 2050.  

Mas por que os idosos deveriam voltar para a escola? 

Vamos concordar que aprender é para sempre. “Não existe esse conceito de idade. Todos nós temos capacidade de aprender o que quisermos. É só ter vontade e disposição”, avisa sabiamente Nilza, que simplesmente decidiu retomar os estudos na primeira oportunidade que teve. Sua motivação? Exclusivamente pessoal. Além da realização de adicionar ao seu perfil profissional os títulos de bacharel e pós-graduado, ela mesma queria revisar seus cinco livros que escreveu ao longo dos anos. “Eu gosto muito de escrever, tenho boas ideias, mas queria melhorar a minha gramática e assim que vi o anúncio não hesitei. Cliquei e fiz a matrícula no dia seguinte”, recorda. Nilza se refere ao Centro Universitário Internacional Uninter que oferece mais de 200 cursos de graduação e pós-graduação para brasileiros que vivem fora do Brasil e querem fazer faculdade. As aulas são em português e 100% online por meio do ambiente virtual Univirtus. Ao ser questionada sobre os possíveis desafios tecnológicos, já que a modalidade de ensino é a distância, Maria Nilza confessa que isso não foi empecilho para realizar o seu sonho. A novata no mundo digital comprou seu primeiro laptop exclusivamente para pode estudar. “Eu tentava até conseguir, e as funcionárias da Uninter estavam sempre à disposição para ajudar”, conta ela sobre sua experiência inicial. “Não tem dificuldade nenhuma: se você já tem Facebook, ou se comunica via WhatsApp, o resto se aprende”, garante a veterana.  

Sobre a Uninter 

O Centro Universitário Internacional Uninter é um dos maiores grupos do segmento educacional e uma das únicas instituições de educação a distância do Brasil credenciada com nota máxima pelo Ministério da Educação (MEC). Sediado em Curitiba (PR), já formou mais de 550 mil alunos e, hoje, tem mais de 400 mil estudantes ativos. Fora do Brasil, o Centro Universitário Internacional UNINTER oferece mais de 200 cursos de graduação e pós-graduação EAD para brasileiros, com polos de apoio presencial localizados em Atlanta, Boston, Fort Lauderdale, Houston, Miami, Newark, Orlando, Salt Lake City e Washington-DC, nos Estados Unidos; em Lisboa, Portugal; em Londres, Inglaterra; em Milão, Itália; e em Nagoya e Toyohashi, Japão.  1-833-605-1255 | uninteramericas.com