FDA e fabricante de fórmulas infantis chegam a acordo para minimizar falta de produto

Falta do leite em pó para bebês nas prateleiras dos EUA é causada por fechamento da fábrica da Abbott Nutrition, gargalos na cadeia de suprimentos, entre outros fatores

0
844
Prateleiras vazias mostram falta de fórmula infantil na CVS em San Antonio, Texas, EUA, 10 de maio de 2022. REUTERS:Kaylee Greenlee Beal:File Photo

O Food and Drugs Administration (FDA) anunciou nesta segunda-feira (17) que entrou em um acordo com a fabricante de fórmulas infantis Abbott Nutrition, para a reabertura das fábricas. A empresa foi fechada temporariamente em fevereiro devido a acusações de que quatro bebês se contaminaram – e dois morreram – depois de consumir a fórmula.

Aliados aos gargalos na cadeia de suprimentos, falta de ingredientes e mão de obra, os pais se viram desesperados para encontrar o alimento, que sumiu das prateleiras nas últimas semanas.

“Uma vez que o FDA confirme que os requisitos iniciais para a retomada da produção foram atendidos, a Abbott poderá reiniciá-la na fábrica [do Michigan] dentro de duas semanas”, diz a nota.

A escassez do produto afetou mais as famílias de baixa renda, que recebiam a fórmula como beneficiárias de um programa federal, e as que precisavam de fórmulas especiais, já que a Abbott Nutrition era a principal fabricante delas.

“Essas 20 fórmulas especiais são usadas por cerca de 5 mil bebês, bem como algumas crianças mais velhas e adultos com doenças metabólicas raras, e a Abbott Nutrition é o único fornecedor de algumas delas”, informou a Casa Branca. Na semana passada, o presidente Biden se reuniu com fabricantes e lojistas grandes para tentar aumentar a produção e a venda no país.

O governo planeja, entre outras ações, fazer parcerias com México, Chile, Irlanda e Holanda para aumentar a importação, reduzir a burocracia e simplificação da oferta.