Finais da NBA com sotaque canadense

0
1550

O Toronto Raptors enfim chega à sua primeira final de NBA após quase três décadas disputando a principal liga de basquetebol do planeta. Aliás, é a única franquia da NBA sediada no Canadá, pois o Vancouver Grizzlies deixou de ter apoio local e a franquia se mudou para Memphis, Tennessee. Por causa do Toronto Raptors, os fãs que lotam ginásios na América do Norte são obrigados também a ouvir o hino nacional canadense (“O Canada”) além do hino nacional americano (“Star Spangled Banner”).

A surpresa de estar na final ainda é mais significativa pelo fato de Toronto Raptors ter tido melhor campanha (58 vitórias e 24 derrotas) do que o badalado Golden State Warriors (57-25) e também por ter vencido o Milwaukee Bucks na final da Conferência Leste, dono da melhor campanha da temporada com 60 vitórias e 22 derrotas.

Em função da campanha, o time canadense recebeu os atuais bicampeões da NBA na quinta-feira (30) e faz o segundo jogo no domingo (2) também em Toronto. Depois a série muda para Oakland na Califórnia, com jogos marcados para quarta e sexta-feira. A equipe que vencer quatro partidas, dentre as sete possíveis, assegura o título. As transmissões sempre serão feitas pela ABC, com horários variando de jogo para jogo. Estima-se que as finais da NBA sejam vistas em 215 países e territórios e transmitidas em 50 línguas em televisores, computadores, dispositivos móveis e tablets.

Números das finais da NBA 2019:

3 – Golden State está em busca do terceiro título da NBA em sequência.

Os únicos times a vencer três campeonatos seguidos nos últimos 50 anos foram Los Angeles Lakers (2000-02) e Chicago Bulls (1991-93 e 1996-98).

5 – Warriors chegou a cinco finais de NBA consecutivas, juntando-se ao Boston Celtics como únicas equipes a alcançar este feito.

Celtics chegou a 10 finais de NBA consecutivas entre 1957-66.

6 – Golden State ganhou seis títulos da NBA, e está empatado com Bulls pelo terceiro lugar.

Celtics lideram com 17 títulos da NBA, seguido pelos Lakers com 16.

50 – Raptors venceram pelos menos 50 jogos em cada uma das últimas quatro temporadas.

Antes dessa sequência, Toronto nunca havia obtido uma temporada com 50 vitórias.

17 – Pela primeira vez em 17 anos, Toronto ganhou os dois jogos da temporada regular contra Golden State.

Jogadores e técnicos

561 – Kawhi Leonard, do Raptors, anotou 561 pontos na pós-temporada 2019, sexta marca mais alta de todos os tempos para um jogador antes das finais da NBA.

31.7 – A carreira de Kevin Durant nas finais da NBA com média de 31.7 pontos é a terceira maior de todos os tempos.

Rick Barry é o líder com 36.3 pontos, seguido por Michael Jordan com 33.6 pontos.

98 – Stephen Curry anotou o recorde de 98 três pontos nas finais da NBA.

1 – Nick Nurse do Raptors é o primeiro técnico da NBA G League a levar uma equipe às finais da NBA.

Nurse é o único treinador a comandar duas franquias a um campeonato da NBA G League.

75.8 – O técnico do Warriors, Steve Kerr, detém o recorde de 75.8 por cento da NBA em jogos de playoff (75-24).

29 – Jeremy Lin, do Toronto, participou de 29 jogos do Golden State como novato na temporada 2010-11.

16 – Um total de 16 jogadores com experiência em NBA G League estão nos elencos dos finalistas da NBA.

Raptors: Chris Boucher, Danny Green, Jeremy Lin, Patrick McCaw, Malcolm Miller, Eric Moreland, Norman Powell, Pascal Siakam e Fred VanVleet.

Warriors: Jordan Bell, Quinn Cook, Jacob Evans, Damian Jones, Shaun Livingston, Kevon Looney e Alfonzo McKinnie.

Finais da NBA pelo mundo

14 – Quatorze redes de rádio e televisão internacionais – do Brasil, Canadá, China, França, Itália, Japão, México, América Latina, Polônia, Espanha e Taiwan – farão transmissões e comentários nos locais dos jogos.

7 – Sete jogadores internacionais representando sete países estão nos elencos dos finalistas.

Raptors: Chris Boucher (Canadá), Marc Gasol (Espanha), OG Anunoby (Reino Unido), Pascal Siakam (Camarões) e Serge Ibaka (República do Congo).

Warriors: Andrew Bogut (Austrália) e Jonas Jerebko (Suécia).

6 – Seis redes de televisão internacionais – da Austrália, Estônia, Hong Kong e Nova Zelândia –apresentarão as finais da NBA remotamente pela primeira vez.

Mídia Social NBA

1.6B –NBA criou a maior rede de comunidades em mídia social do mundo, com mais de 1.6 bilhão de likes e seguidores através das plataformas da liga, das equipes e dos jogadores.

30M –Warriors e Raptors combinados têm mais de 30 milhões de seguidores no Facebook, Twitter e Instagram.

47M – Stephen Curry tem mais de 47 milhões de seguidores na mídia social, segundo jogador da NBA mais seguido, atrás apenas de Lebron James do Angeles Lakers.

Brasileiros bem na Sul-Americana

A boa jornada começou na terça-feira (28) com a vitória do Atlético-MG sobre Unión La Calera do Chile no Estádio Independência. A partida foi mais dura do que imaginavam os torcedores e o gol da vitória somente surgiu no segundo tempo com Alerrandro, que substituíra Ricardo Oliveira no intervalo da partida. O resultado serviu para mostrar que o jovem de 19 anos está pronto para assumir o comando do ataque do Galo no lugar do experiente Ricardo Oliveira, que já vem dando mostra de que sua (boa) carreira está chegando ao fim.

Porém, se o experiente atacante não luziu, o mesmo não se pode dizer do também experiente goleiro Victor. Com o placar de 1 a 0, o Galo devolveu a derrota à equipe chilena que havia vencido pelo mesmo placar no Chile. A decisão foi então para a série de penalidades máximas. Enquanto Fábio Santos, Luan e Léo Silva converteram seus pênaltis, Victor defendeu as três cobranças dos jogadores do Unión La Calera: Leyton, Bou e Larrondo, garantindo assim a passagem do Alvinegro das Alterosas para as oitavas de final da Copa Sul-Americana.

Agora, o Atlético-MG volta as atenções para o Brasileirão, onde é vice-líder. A equipe é favorita no duelo com o CSA de Alagoas, marcado para domingo (2). As oitavas de final da Copa Sul-Americana somente serão disputadas após a Copa América e o Galo já conhece seu adversário: Botafogo-RJ.

Fogão goleia time paraguaio

Com direito a “olé” e uma boa atuação coletiva, o Botafogo passou por cima do Sol de América nesta quarta-feira, no Nilton Santos: 4 a 0. Fez dois no primeiro tempo e dobrou a conta na etapa final. O Atlético-MG é o rival nas oitavas de final da Copa Sul-Americana.

O primeiro gol veio rápido, aos sete minutos, quando o domínio alvinegro ainda não era absoluto. João Paulo bateu escanteio na medida, e Cícero guardou. Ainda na etapa inicial, Luiz Fernando, que não marcava desde 20 de janeiro, recebeu de Diego Souza e ampliou.

No fim da etapa, o Sol de América ficou um pouco com a bola, enquanto o Botafogo se defendia sem sustos. Os paraguaios até voltaram mais agressivos do intervalo, mas logo Bochecha e Diego Souza fecharam a conta.

O próximo jogo do Botafogo na temporada é clássico. No domingo (2), recebe o Vasco em duelo matinal. O Glorioso é o 11º colocado no Campeonato Brasileiro, com nove pontos. Além disto, dirigentes do Botafogo entraram com pedido junto ao STJD (Superior Tribunal de Justiça Desportiva) para anular a partida contra o Palmeiras, na qual foi derrotado por 1 a 0, alegando erro de direito.

Fluminense perde, mas se classifica

O Fluminense está nas oitavas de final da Copa Sul-Americana. O Tricolor perdeu fora de casa para o Atlético Nacional, por 1 a 0, gol de Barcos, mas segue no torneio pela grande vantagem construída com a goleada no Maracanã. Na Colômbia, o time de Fernando Diniz sofreu no início, mas igualou o jogo, criou chances e não teve a vaga em risco.

A próxima parada do Fluminense na Copa Sul-Americana é o Uruguai. O Tricolor enfrentará o Peñarol nas oitavas de final. O primeiro jogo será em Montevidéu, em data a ser definida pela Conmebol. Além desses brasileiros, o Corinthians também deve ter passado para a próxima fase, pois venceu o fraco Deportivo Lara em São Paulo por 2 a 0 no jogo de ida.

O Fluminense volta a campo no domingo (2) contra o Athetico-PR, na Arena da Baixada, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro.

Internacional confirma vaga com vitória em Belém

O Internacional realmente cumpriu tabela na partida realizada na quarta-feira (29) no Estádio Mangueirão em Belém. Em um jogo preguiçoso, o Colorado controlou a partida ao seu bel prazer. Como havia vencido o jogo de ida por 3

a 1 em Porto Alegre, não foi em momento algum ameaçado pela limitada equipe do Paysandu. O primeiro tempo foi sonolento com poucas oportunidades de gol.

Na segunda etapa, o‑ time paraense esboçou ofensividade e obrigou Marcelo Lomba a fazer duas defesas dificílimas no reinício da partida. Pouco a pouco, porém, a maior qualidade técnica do Inter foi prevalecendo e aos 40 minutos uma jogada de estrangeiros definiu a partida. O argentino D’Alessandro lançou seu compatriota Sarrafiore, que serviu o peruano Guerrero na grande área. O artilheiro fuzilou o goleiro Mota e definiu o placar de 1 a 0.

Classificado, o Inter aguarda o sorteio para conhecer seu adversário nas quartas de final da Copa do Brasil. O Colorado volta a campo no próximo domingo quando recebe o Avaí no Beira-Rio pela 7ª rodada do Brasileirão. Também no domingo, o Paysandu enfrenta o São José-RS no Estádio da Curuzu, pela 6ª rodada da Série C.

Grêmio também está nas quartas de final

Pelo segundo jogo consecutivo, o Grêmio precisou levar um susto e perder um pênalti para deslanchar e vencer. Desta vez, de modo mais imediato. Felipe Vizeu marcou dois gols, um em cada tempo, e deu lugar a Tardelli, que fechou a goleada. Com isso, o Tricolor está nas quartas de final da Copa do Brasil. Já o Juventude volta as atenções para a Série C e a tentativa de retornar ao Brasileirão da Série B.

Na primeira etapa, Jean Pyerre cobrou a penalidade no meio do gol e Marcelo Carné fez a defesa. Quinze minutos depois, Vizeu completou de cabeça o cruzamento de Juninho Capixaba e abriu o marcador. No segundo tempo, ele escorou o cruzamento de Thaciano e ampliou. Só deixou o campo para ser aplaudido e dar a chance de Tardelli fazer o segundo gol dele com a camisa do Grêmio, o segundo contra o Ju, mais uma vez com assistência de Thaciano.

O Grêmio está classificado para as quartas de final da Copa do Brasil. O adversário será definido por sorteio, e ainda faltam os jogos de volta de outros cinco confrontos. No sábado, o Tricolor volta a campo pelo Brasileirão diante do Bahia, em Pituaçu. O Ju recebe o Atlético-AC, pela Série C.

Bahia em alta, São Paulo em baixa

No duelo dos tricolores, melhor para o Bahia. O Tricolor de Aço recebeu o Tricolor paulista em posição privilegiada. Afinal, o Bahia havia derrotado o São Paulo no Morumbi por 1 a 0 e jogava em casa por um simples empate. Entretanto, em vez de ficar na defensiva, a equipe de Roger Machado se posicionou muito bem em campo para impedir a criação de jogada por parte dos meiocampistas do time paulista e ainda criava situações de gol. Foi em um destes contra-ataques que o veloz Arthur avançou e tocou a bola para o zagueiro Ernando define na saída de Tiago Volpi.

Com 1 a 0 a favor, ficou ainda mais fácil para o Bahia controlar o jogo e criar outras situações de perigo. As substituições promovidas pelo técnico Cuca não surtiram efeito e o São Paulo foi desclassificado da Copa do Brasil – competição que nunca venceu.

Classificado, o Bahia aguarda o término das oitavas de final para saber, em sorteio, quem será o adversário nas quartas de final. Pelo Brasileirão, recebe o Grêmio em Pituaçu. Ao São Paulo, agora só resta o Brasileirão. E terá um jogo duro no domingo contra o Cruzeiro no Pacaembu.

Brasil reage após queda e fecha com vitória na segunda etapa da Liga das Nações

O rival não inspirava assim tanto temor. Mas, depois de uma queda inesperada, era preciso dar uma resposta imediata. Na saideira da segunda semana da Liga das Nações, o Brasil não teve muito trabalho para bater a frágil Bulgária, lanterna da competição até aqui. Com uma atuação segura, a seleção corrigiu alguns dos problemas da véspera para chegar a uma vitória tranquila: um 3 a 0 seco, parciais 25/18, 25/23 e 25/18.

A vitória leva o Brasil aos 12 pontos na competição. O lugar na tabela ainda vai depender dos outros resultados do dia. Agora, a seleção de José Roberto Guimarães viaja para Lincoln, nos Estados Unidos, para enfrentar Alemanha e Coreia do Sul, além das donas da casa.