Fuzileiros navais americanos atuavam como ‘coiotes’ na fronteira

Marines recebiam dinheiro de imigrantes para entrar nos EUA

0
2705
Marines agiam como ‘coiotes’ na fronteira sul dos EUA (Foto: Donna Burton)

O lema dos fuzileiros navais dos EUA (Marines), que está presente no hino da corporação, é “sempre fiel”. No entanto, não era essa a real motivação de dois militares lotados no 5º Regimento da Marinha, em Camp Pendleton, na Califórnia: Byron Darnell Law II e David Javier Salazar-Quintero, na verdade, atuavam como coiotes na fronteira com o México, facilitando a entrada de indocumentados no país. Eles foram presos em flagrante por um agente da Border Patrol, com três mexicanos no banco traseiro do carro.

Os imigrantes confessaram que haviam prometido o pagamento de pelo menos oito mil dólares aos Marines caso conseguissem entrar na América. Segundo depoimentos, os mexicanos foram apanhados no acostamento da estrada e seriam levados para um local seguro, antes de seguirem para Los Angeles ou New Jersey. Ao que tudo indica, o esquema já foi realizado outras vezes, e tudo era monitorado por celulares, através de telefonemas feitos por um número desconhecido do México.

Os fuzileiros navais enfrentam acusações que podem resultar em vários anos na prisão por tráfico de pessoas e contrabando de imigrantes, com o propósito de vantagem comercial ou ganho financeiro pessoal. Eles já foram expulsos da corporação.