Governador da Flórida associa recorde de casos de Covid-19 no estado a trabalhadores hispânicos

Ron DeSantis disse à imprensa na terça-feira que aumento se devia, entre outras coisas, ao 'excesso de trabalhadores hispânicos'

0
1317
DeSantis participou de uma coletiva de imprensa nesta segunda-feira (30) em Kissimmee, na Flórida Central (foto: flickr)
DeSantis participou de uma coletiva de imprensa nesta segunda-feira (30) em Kissimmee, na Flórida Central (foto: flickr)

DeSantis, um dos últimos governadores a decretar ordem de confinamento e um dos primeiros a reabrir a economia de seu estado, disse à imprensa na terça-feira (16) que o aumento dos casos de Covid-19 na Flórida vinha acontecendo principalmente em asilos e entre os trabalhadores da construção e rurais.

“Alguns desses caras vão para o trabalho em ônibus escolares, apertados como sardinhas em lata, atravessando o condado de Palm Beach e outros lugares, e assim há várias chances para a transmissão”, disse o governandor.

A comissária de Agricultura do estado, Nikki Fried, contestou a declaração do governador, afirmando que a maioria dos trabalhadores rurais já deixaram o estado depois da colheita, e que o aumento dos casos está sendo em áreas não-cultivadas. A referência aos trabalhadores hispânicos está na marca dos 10:00 no vídeo abaixo.

Entidades de apoio aos trabalhadores rurais criticaram o governador pela sua “estratégia de culpar as vítimas” em um estado onde os patrões fornecem poucas proteções aos trabalhadores rurais e que dá pouca atenção à população mais vulnerável, com pouco acesso à cuidados sanitários e higiene.

Antonio Tovar, diretor-executivo da Farmworker Association of Florida, considerou “uma vergonha” os comentários de DeSantis. “Desde o começo imploramos por ajuda para os trabalhadores rurais, ajuda que nunca veio”.

O Florida Health Department (FHD) reportou 3,207 novos casos de Covid-19 na quinta-feira (18), o maior aumento em um dia, desde março. Até quinta, havia mais de 85 mil casos e pelos menos 3 mil mortes pela pandemia no estado. O aumento trouxe a suspeita de que a Flórida pode se tornar o epicentro da pandemia no País.

O FHD não divulgou dados geográficos relacionados que comprovassem a declaração do governador DeSantis de que a Covid-19 está mais forte entre os trabalhadores rurais no estado.

Na semana passada, DeSantis brincou que a Flórida é a “sala de espera de Deus”, por causa do grande número de residentes idosos, grupo mais vulnerável ao coronavirus.

Com informações de Huffington Post, Miami Herald e Tampa Bay Times.