Greyhound anuncia que não vai mais permitir a presença de agentes de imigração em seus ônibus

Empresa vai passar a exigir ordem judicial de agentes; veículos são alvos constantes de agentes do Border Patrol em busca de imigrantes indocumentados

0
1989
Greyhound anuncia que não vai mais colaborar com a imigração (Foto Wikimedia Commons)

Uma das maiores empresas de ônibus dos Estados Unidos, a Greyhound, anunciou que não vai mais permitir que agentes do Border Patrol entrem nos veículos sem ordem judicial para buscar imigrantes indocumentados. A empresa é conhecida por ser alvo constante de visitas surpresa de agentes.

O anúncio chega uma semana depois de a Associated Press reportar que a Greyhound não é obrigada a permitir que agentes entrem nos ônibus sem ordem judicial. Sempre que era denunciada por ativistas, a empresa dizia que deixava os agentes embarcarem “porque não tinham escolha”.

A  Greyhound enfrenta pressão por parte da American Civil Liberties Union e de outros ativistas dos direitos dos imigrantes, além do procurador-geral do Estado de Washington, Bob Ferguson. Eles pedem para a empresa parar de permitir varreduras em ônibus a 160 quilômetros de uma fronteira.

O argumento é que a prática é intimidadora e discriminatória e se tornou mais comum depois da posse do presidente Donald Trump. Um processo na Justiça da Califórnia alega que a empresa facilita a entrada desses agentes.

Em uma declaração por e-mail, a empresa informou que notificaria o Departamento de Segurança Interna de que não concorda com buscas injustificadas em seus ônibus ou em áreas de terminais que não são abertas ao público – como escritórios da empresa ou áreas de que a pessoa precise de passagem para embarcar.

A Greyhound disse ainda que seus funcionários serão treinados para adotarem a nova política. “Nossa principal preocupação é a segurança de nossos passageiros e membros da equipe, e estamos confiantes de que essas mudanças levarão a uma experiência aprimorada para todas as partes envolvidas”, afirmou o comunicado.