Miami Beach cancela patrocínio a festival de ‘Spring Break’

Decisão é uma tentativa de evitar aglomerações e controlar o contágio pelo coronavírus. Festividades acontecem em março

0
473
O spring break deste ano está programado para os dias 7 à 21 de março (Foto: Pixabay)
O spring break deste ano está programado para os dias 7 à 21 de março (Foto: Pixabay)

Mesmo em meio à pandemia, espera-se que centenas de jovens de férias cheguem a Miami Beach em março para o “spring break”. 

Para tentar desencorajar os turistas festeiros a viajarem para o local, autoridades da região votaram na quarta-feira (13), para rejeitar os planos de financiar um festival de férias com duração de 12 dias que custará um milhão de dólares aos cofres municipais. 

“Estamos planejando o pior e torcendo pelo melhor”, disse o city manager, Raul Aguila. “Estou prevendo que veremos muitas e muitas pessoas”, concluiu. O spring break deve acontecer este ano entre os dias 7 e 21 de março. 

“Estamos no meio de um aumento repentino nos casos de covid-19 e essas grandes reuniões não estão ajudando”, disse Aguila. “E eu acho que temos que ser muito cautelosos ao promover isso.”

Geralmente, o “spring break” concentra multidões de mais de mil pessoas. 

Nos últimos anos, a cidade impôs restrições ao barulho, reprimiu o consumo de bebidas alcoólicas em público e instalou leitores de placas nas entradas da cidade.

“A segurança pública tem que estar em primeiro lugar”, disse o comissário Mark Samuelian. “Seja lá o que for, vamos arranjar dinheiro para proteger Miami Beach e nos manter seguros”, concluiu.

No último dia 6 de janeiro, a Flórida quebrou um recorde estadual de casos diários de covid-19, relatando 17.783 infecções. O estado, que tem o quarto maior número de mortes por coronavírus no país, continua em uma perigosa “zona vermelha” em relação à taxa de infecção, de acordo com um relatório da Força-Tarefa de Coronavírus da Casa Branca.

Pelo menos mil pessoas no condado de Miami-Dade foram hospitalizadas com nas últimas duas semanas.