Mudança climática responde por $8 bi em perdas com o furacão Sandy, novo estudo conclui

Essa estimativa representa o ponto médio na faixa de perdas atribuíveis à mudança climática causada pelo homem

0
1318
Estragos causados pelo furacão Sandy deixaram mais de $8 bilhões de prejuízo (Foto: Centro de Meteorologia dos EUA)
Estragos causados pelo furacão Sandy deixaram mais de $8 bilhões de prejuízo (Foto: Centro de Meteorologia dos EUA)

O aumento do nível do mar causado pelas emissões de carbono representou aproximadamente 13% ($8,1 bilhões) dos $62,7 bilhões em perdas com o furacão Sandy em New York, New Jersey e Connecticut, de acordo com um estudo publicado recentemente pela Nature Communications.

Os autores do estudo utilizaram reconstruções históricas e alternativas do nível do mar, além de simulações de inundações para determinar o quanto a mudança climática contribuiu para os danos infligidos pela tempestade de 2012.

Eles descobriram que o aquecimento causado pelo homem elevou o nível do mar na área de New York em cerca de quatro polegadas no século anterior à tempestade — o suficiente para estender a inundação costeira para o interior e aprofundar as águas de inundação em todos os lugares, aumentando os danos a estruturas submersas.

A estimativa de $8,1 bilhões representa o ponto médio (percentil 50) na faixa de perdas atribuíveis à mudança climática causada pelo homem. O estudo constatou uma faixa de perdas que não poderia ser inferior a $4,7 bilhões (5º percentil) nem superior a $14 bilhões (95º percentil) causadas pela elevação do nível do mar ligada à emissão de gases de efeito estufa.

“A elevação do nível do mar causada pelo homem já está tornando cada enchente costeira mais destrutiva e cara”, afirma Benjamin Strauss, um dos autores do artigo e cientista-chefe, além de CEO do Climate Central, uma organização independente de pesquisa climática com sede nos Estados Unidos.

“Este estudo é o primeiro a isolar os efeitos da elevação do nível do mar atribuíveis às atividades humanas e a colocar um sinal de dólar para os danos adicionais causados pelas inundações costeiras”, afirma Philip Orton, coautor do estudo e pesquisador do Stevens Institute of Technology, de New Jersey. “Se calculássemos os custos de todos os danos causados pelas inundações costeiras potencializadas pelas mudanças climáticas, isso deixaria mais claro os graves danos que estamos infligindo a nós mesmos e ao nosso planeta, aumentando a urgência para evitá-los”, avalia.

“À medida que os efeitos da mudança climática se tornam mais frequentes e mais severos, documentar o impacto humano (como fizemos aqui) é fundamental para entender e reduzir nossas contribuições adversas ao sistema climático”, diz o também autor do artigo Daniel Gilford, pesquisador da Universidade Rutgers e do Climate Central.