Negócio em família prospera em tempo de crise

0
621

Família brasileira imigra para os Estados Unidos nos anos 90, planta e cultiva a semente empresarial e começa a colher os frutos do empreendedorismo com a Renewable Living que desenvolve projetos personalizados

Heliana DeWeese

Identificar oportunidades no mercado não parece tão difícil, porém viabilizá-las, fazendo com que uma proposta se concretize em uma realidade de sucesso é tarefa complexa que exige foco, planejamento e acima de tudo educação empresarial. Com certeza, nenhuma das três ferramentas faltou para a família Almeida ao colocar a Renewable Living, Inc no mercado com a proposta de desenvolver projetos arquitetônicos de madeira personalizados e de alta qualidade, priorizando o meio-ambiente.

Os arquitetos da empresa são certificados pela GBC- Green Building Council USA, organização não governamental (ONG) que promove a construção sustentável, através da filosofia de preservação dos recursos naturais. Portanto, trabalham em seus projetos com madeira proveniente de fontes de fornecedores confiáveis, que operam dentro do padrão de sustentabilidade.

A empresa é relativamente nova. Nasceu em 2007 e ainda no berço enfrentou o pico da crise, que bateu especialmente forte no setor de construção civil da Flórida. A Renewable Living se viu diante de uma realidade que a inviabilizou no primeiro momento da instabilidade econômica americana. Incertezas e cautela ponderaram a decisão da família de recuar. Com o experiente suporte da mãe, Áurea; os jovens empresários, João, Juliana, Juciana, Janaína e Andrew optaram por adiar os planos. Todos estudavam e trabalhavam em tempo integral na época. A empresa era, então, o segundo ciclo do dia para o grupo, que se dedicou intensamente à dupla jornada de trabalho sem retorno financeiro imediato. O investimento pessoal de cada um era sumariamente importante para o projeto seguir adiante.

A possibilidade de fechar era cruelmente frustrante. O adiamento, embora desalentador, pareceu mais acertado para os jovens que haviam planejado e se empenhado no objetivo de suceder. Sendo assim, a Renewable Living foi colocada para dormir por algum tempo, enquanto o grupo repensava as estratégias de retorno. Os equipamentos foram armazenados num depósito à espera de um futuro. Porém, no ano seguinte, uma nova oportunidade bateu à porta dos Almeida, encorajando-os a retomar as atividades da empresa. Depois de alguns anos vivendo aqui nos EUA, um marceneiro brasileiro resolveu vender seu pequeno negócio para retornar ao Brasil. Com os equipamentos iniciais, uma pequena carteira de clientes e as poucas máquinas compradas do marceneiro, a Renewabe Living renasceu em 2008. Desta vez mais forte. A família estava decidida a fazer a proposta vingar.

O começo de tudo

A professora universitária Áurea Almeida imigrou para os EUA em 1990 com quatro adolescentes e a proposta inicial de oferecer um futuro melhor para seus filhos. Uma verdadeira ‘escadinha’ como ela mesma define a proximidade de idade entre João, 35, Janaína, 34, Juciana, 32 e Juliana, 31. Para Áurea, a base de tudo é a educação. Obviamente, não poderia ser diferente, para quem se dedicou a vida inteira a ensinar.

Oriunda de Barbosa, no interior de São Paulo, a brasileira, socióloga de formação, aposentou-se da carreira de professora na Universidade Estadual Sudoeste da Bahia para arriscar uma nova vida nos EUA. E está dando certo. Ela está cumprindo o que propôs. Prover estudos para os filhos e manter a família unida. Até aposentar-se no ano passado, a ex-professora ocupou durante 13 anos a posição de Social Services Facilitator do Department of Multicultural Education of the School District of Palm Beach. Simplificando o nome comprido, Áurea se dedicou especialmente a um departamento que assiste e apoia diretamente estudantes imigrantes e suas dificuldades de adaptação nos EUA, e que no Brasil corresponde à diretoria Regional de Ensino.

A brasileira teve planos de gerir uma empresa familiar, mas não a certeza de que conseguiria viabilizá-los, até porque não tinha a menor ideia sobre qual o segmento de mercado atuaria. Confiou no curso natural dos acontecimentos e a escolha profissional dos filhos foi direcionando aos poucos a escolha do ramo de negócio. João, o mais velho, tem o próprio negócio. Juciana é engenheira elétrica e trabalha para uma companhia de engenharia do Texas, porém ambos suportam a iniciativa familiar. Juliana graduou-se em negócios internacionais e economia e Janaína é designer e arquiteta. O marido Andrew, também arquiteto, reuniu-se ao negócio em 2010 e hoje todos são sócios, inclusive a mãe que se juntou ao grupo ao se aposentar.

Laços familiares

Manter um negócio em família, certamente não é fácil. É preciso disciplina, envolvimento e educação sobre o negócio e o mercado, exalta Áurea. Afinar a visão empresarial é um processo que acontece com a participação de todos. Sem dúvida, educar-se sobre o negócio é tão importante, quanto também preparar-se para confrontar as dificuldades, que podem ir desde lidar com empregados e fornecedores, até a discriminação. O mercado de construção civil é praticamente dominado pela presença masculina e convencer sobre a competência de uma empresa dirigida em sua maioria por mulheres não tem sido uma tarefa fácil. Somos praticamente pioneiras, indica a agora empresária Áurea.

Responsável pela criação e designer dos projetos, Janaína ressalta que o trabalho é realizado em equipe e, embora todos tenham suas funções específicas, as decisões são tomadas em consenso e não antes de todos opinarem. Somos parceiros com o mesmo objetivo, complementa.

Quando se fala em metas, Juliana adianta que são muitas e estamos nos preparando para diversificar o negócio em 2013. Ela acaba de conseguir a licença de corretora de imóveis e com a irmã e cunhado arquitetos, os planos da Renewable Living não devem parar por aí, garante a jovem empresária. Se depender da determinação e afinidade empresarial que une os Almeida, é muito provável que a comunidade do sul da Flórida testemunhe mesmo mais esse gol brasileiro.