Pfizer pede autorização ao FDA para uso emergencial da vacina em crianças de 5 a 11 anos

O órgão regulador vai se reunir no final deste mês para discutir a aplicação da vacina contra a covid-19 em crianças, permitindo que elas recebam o imunizante já em novembro

0
432
Vacina da Pfizer já é distribuída nos EUA (Foto: Flickr/Justin Tallis)
Vacina da Pfizer tem eficácia comprovada (Foto: Flickr/Justin Tallis)

A Pfizer e a BioNTech pediram ao US Food and Drug Administration (FDA) que aprovem o uso emergencial do imunizante contra o coronavírus em crianças de cinco a 11 anos. A farmacêutica Pfizer divulgou a informação em sua conta no Twitter.

O FDA vai reunir seus consultores no dia 26 de outubro discutir o assunto. Caso aprovada, a aplicação emergencial em crianças terá início poucos dias depois.

Segundo o coordenador de resposta à covid-19 da Casa branca, Jeffrey Zients, a vacina poderá estar pronta para aplicação já no início de novembro.

Quando a autorização estiver concluída, disse Zients, “estaremos prontos”. “Temos o suprimento. Estamos trabalhando com os estados para montar locais convenientes para pais e filhos serem vacinados, incluindo consultórios pediátricos e locais comunitários”, explicou.

No dia 20 de setembro, a Pfizer e BioNTech apresentaram resultados positivos de resposta imunológica entre crianças dessa faixa-etária.

A pesquisa incluiu 2.268 participantes com idades entre 5 e 11 anos, que receberam as duas doses da vacina em um intervalo de 21 dias de uma para a outra. A concentração da vacina é menor que a administrada em maiores de 12 anos. Nesses testes foram administradas doses com 10 microgramas, concentração três vezes menor que nos adultos.

As crianças representam hoje cerca de 27% de todos os casos de coronavírus nos EUA e uma porcentagem crescente de internações, segundo a Academia Americana de Pediatria. Isso reflete o alto nível de contágio da variante delta entre as pessoas não vacinadas. (Com informações da Folha de S. Paulo)