Senado de EUA inicia o debate sobre projeto imigratório

0
572

Membors do Partido Republicano estão divididos com relação ao projeto de lei aprovado pelo Comitê Judiciário.

O Senado dos EUA começou ontem (29/03) o debate sobre um plano de reforma do sistema de imigração que poderá aplainar o caminho para que milhões de indocumentados regularizem sua situação legal no país.

O debate se concentrará no projeto de lei aprovado na segunda-feira (27/03) pelo Comitê Judiciário do Senado que propõe um programa para trabalhadores temporários promovido pelo presidente George W. Bush, o qual permitirá a naturalização dos estrangeiros indocumentados se cumprirem uma série de condições.

Mas este projeto também recomenda a duplicação do contingente das Patrulhas Fronteiriças para deter a passagem ilegal de estrangeiros para os EUA a partir da fronteira sul com o México. Calcula-se que nos Estados Unidos haja entre onze e doze milhões de imigrantes indocumentados.

“O Congresso não pode cruzar os braços diante do número crescente de estrangeiros ilegais. É necessário que tomemos medidas”, disse Bill Frist, líder da maioria republicana no Senado ao abrir o debate.

Em dezembro do ano passado, a Câmara de Deputados aprovou outro projeto de lei que converte em delinqüentes aqueles que ajudarem os estrangeiros em situação de ilegalidade e designou fundos para a construção de um muro de mais de mil quilômetros ao longo da fronteira sul.

O senador republicano Jeff Sessions sugeriu que o Senado deveria adotar a política da Câmara e aplicar medidas contra a imigração ilegal.
“Devemos seguir o exemplo da Câmara de Deputados. O pessoal diz que se trata de uma iniciativa muito severa. Não é. É um projeto para que o sistema legal funcione”, destacou.

O projeto de lei do Comitê Judiciário provocou uma divisão entre os legisladores do Partido Republicano. Alguns deles desejam manter um sistema que aumenta a oferta de mão-de-obra barata que favorece muitas empresas. Outros afirmam que a imigração ilegal converteu-se em um problema de segurança e propõem a expulsão dos indocumentados do país.

O problema adquiriu uma importância crucial para muitos destes legisladores que estão tentando a reeleição no pleito de renovação parcial do Congresso que se realizará em novembro deste ano.