Tempo de renovação na Fórmula 1

0
1516

O Campeonato Mundial de Fórmula 1 ainda está indefinido e a briga entre Sebastian Vettel, da Ferrari, e Lewis Hamilton, da Mercedes, continua aberta, com vantagem para o piloto inglês neste momento. Porém, nos bastidores da categoria, é tempo de definição e de renovação.

A Ferrari decidiu substituir o veterano Kimi Raikkonen, 38 anos, por um jovem piloto. Charles Leclerc, de 20 anos, será o novo companheiro do alemão Sebastian Vettel na Ferrari em 2019. A escuderia decidiu não renovar o contrato do finlandês que conquistou seu único título mundial em 2007 e termina sua segunda passagem pela equipe italiana (2007/2009 e 2014/2018).

O substituto de Raikkonen assinou pré-contrato com a Ferrari anteriormente ao falecimento do Presidente do Grupo Fiat (dono da escuderia), Sergio Marchionne. Nascido em Mônaco em 16 de outubro de 1997, Charles Leclerc iniciou a carreira no Kart quando criança colecionando títulos: campeão francês em 2009, vencedor da Copa Monaco de Kart em 2010, do Troféu da Academia CIK-FIA e da Copa do Mundo Júnior, em 2011.

Estreou na Fórmula Renault em 2014 e na Fórmula 3 em 2015. No ano seguinte, venceu a GP3 e, em 2017, a Formula 2 – as duas antessalas da Fórmula 1. Charles Leclerc é membro da Academia da Ferrari desde 2016 e nunca escondeu que seu sonho de infância era correr pela equipe italiana.

O monegasco fez neste ano sua estreia na F1 pela Sauber. Conseguiu se destacar na temporada 2018 mesmo sendo piloto de uma das equipes mais modestas do Mundial. Leclerc pontuou em cinco das 13 corridas disputadas até agora e teve um espetacular sexto lugar no Azerbaijão como melhor resultado.

A McLaren confirmou na segunda-feira (3) que Stoffel Vandoorne deixará a equipe no fim da temporada deste ano. A demissão do belga, embora esperada, tem um aspecto até surpreendente por não ter efeito imediato como se comentava nos paddocks – havia a expectativa de o francês Esteban Ocon substituir Vandoorne ainda este ano para abrir vaga na Force India a Lance Stroll, já que o pai do canadense, Lawrence Stroll, comprou a equipe.

O substituto de Vandoorne será o inglês Lando Norris, de apenas 18 anos e atual reserva da equipe. Norris participou do primeiro treino livre nos fins de semana dos GPs da Bélgica e Itália. O inglês é o vice-líder da temporada da Fórmula 2 pela equipe Carlin, onde é companheiro do brasileiro Sérgio Sette Câmara, e ganhou força com o bom desempenho nos testes que fez ao longo de 2018.

Fernando Alonso, por sua vez, que anunciou sua saída da Fórmula 1 está acertando seu ingressa na Fórmula Indy. Este ano, por exemplo, ele trocou a prova de Mônaco pela Indy 500, dando indícios de que a troca de categorias poderia se concretizar.

Inter assume liderança do Brasileirão

Nem o mais fanático torcedor do Colorado imaginava que sua equipe pudesse estar liderando o Campeonato Brasileiro de 2018. Afinal, a equipe disputou no ano passado a Série B (terminou na segunda colocação), e voltou para a Série A neste ano. Por não ter nenhuma outra competição para disputar, além do Brasileirão, a equipe de Porto Alegre se concentrou no principal certame nacional. A opção vem dando resultado, uma vez que o Internacional está de volta ao topo da tabela do Brasileiro, depois de dois anos. São exatos 810 dias entre a oitava rodada do Brasileiro 2016 até a vitória sobre o Flamengo (2 a 1) pela 23ª do Brasileiro deste ano, na quarta-feira (5). Sem brilhar, mas consistente, marca desta equipe de Odair Hellmann, o Colorado marcou com Pottker e Rodrigo Dourado – o Rubro-Negro carioca, que caiu para a quarta colocação, descontou num bonito gol de Vitinho. No fim, Marcelo Lomba garantiu o placar em defesa nos pés de Matheus Savio para completar a festa colorada. Com a vitória, o time gaúcho chegou aos mesmos 46 pontos do Triclor paulista, porém, assumiu a ponta pelo saldo de gols. O próximo compromisso também será no Beira Rio, no domingo (9), contra o arquirrival Grêmio, que também faz boa campanha no certame.

Tricolor paulista sofre terceira derrota

Com um gol contra logo no início da partida, anotado por Régis, o Atlético-MG venceu o São Paulo na noite de quarta-feira (5), no Independência, e esquentou ainda mais a briga pelo topo da tabela. O Galo, inflamado na véspera por um discurso de Ricardo Oliveira, que convocou a torcida a lotar o Horto, retomou o caminho dos triunfos após dois empates consecutivos, chegou aos 38 pontos e se manteve na 6ª colocação. O Tricolor, por sua vez, foi derrotado depois de sete jogos, estacionou nos 46 pontos e perdeu a liderança do Campeonato Brasileiro para o Internacional, que supera os paulistas no saldo de gols – 17 contra 16. Apesar da derrota, o técnico da equipe paulista Diego Aguirre gostou da atuação de seu time, que pressionou bastante o Galo em Belo Horizonte e merecia, pelo menos, o empate. O São Paulo sentiu as ausências de Diego Souza (expulso), de Everton e Bruno Peres (lesionados). O Tricolor paulista tenta recuperar a liderança no sábado (8) quando recebe o Bahia no Morumbi. Já o Galo faz o choque dos Atléticos, no Estádio Independência, em Belo Horizonte contra o Furacão de Curitiba, na segunda-feira (10).

Palmeiras vai subindo na tabela…

Quem tudo quer, nada tem. O antigo ditado, tantas e tantas vezes repetido por nossas vovós, expressa uma das verdades tidas como absolutas. Só que no futebol não é bem assim. Ou, pelo menos, nem sempre é bem assim. E um bom exemplo disso vem sendo, nos últimos tempos, o Palmeiras.

Além de classificado às oitavas-de-final da Copa Libertadores da América e às semifinais da Copa do Brasil (e com reais chances de seguir adiante em ambas as competições), nas últimas rodadas o Verdão tem mostrado possuir fôlego suficiente para brigar, também, no Campeonato Brasileiro. Há poucas rodadas, a equipe estava a longínquos 12 pontos do então líder, e ao final desta (a 23ª) se vê apenas três pontinhos atrás. É claro que ainda faltam 15 jogos e ainda mais claro é que o time não vencerá todos. Só que os outros clubes também não. Ou seja: mesmo que tropece aqui ou ali, as chances de luta pelo título tendem a continuar vivas até o fim.

Isso se dá, principalmente, pela tal rodagem do elenco promovida pelo velho/novo treinador. Qualquer outro que fizesse exatamente a mesma coisa possivelmente não conseguisse do elenco a mesma compreensão e o mesmo apoio. Mas Scolari tem o dom de encantar, de seduzir os jogadores que comanda, conquistando quase que instantaneamente o incondicional apoio de todos os atletas, sejam eles titulares ou não. Se não é assim, como explicar que campeões pelo clube, como Fernando Prass e Jaílson, ou profissionais que chegaram com status de craques e titulares absolutos, casos de Lucas Lima e Gustavo Scarpa, aceitem a condição de reservas sem criar um caso que seja?

A mais recente vítima foi o Atlético-PR, que estava invicto há seis partidas. Depois de um primeiro tempo equilibrado, no Allianz Parque, na quarta-feira (5), o Verdão voltou com outro espírito na segunda etapa e venceu o jogo por 2 a 0, com gols de William e de Moisés cobrando pênalti. No domingo (9), o Verdão recebe o arquirrival Corinthians em sua casa

…enquanto Corinthians despenca

Que ninguém duvide do Lisca. Doido? Doido é quem achava que ele e o Ceará não tinham chance contra as duas maiores torcidas do Brasil. Três dias depois de calar o Maracanã na vitória sobre o Flamengo, domingo passado, o Ceará jogou melhor e mereceu vencer o Corinthians por 2 a 1 na noite de quarta-feira (5), no Castelão, pela 23ª rodada do Brasileiro, em jogo que teve o goleiro Everson como destaque. Além das costumeiras defesas, foi dele o primeiro gol do triunfo cearense, de falta. Calyson aumentou, e Roger marcou para o Timão, que aumenta sua crise às vésperas do clássico contra o Palmeiras, domingo. Depois da partida, o Corinthians anunciou que Osmar Loss não é mais técnico da equipe.

Amigos desde os tempos de Internacional, os dois técnicos gaúchos sorriram, cumprimentaram-se e exaltaram a amizade de longa data. Em campo, porém, Lisca levou a melhor com um time bem armado, veloz nos contra-ataques e capaz de levar perigo a todo momento. Cada vez mais questionado, Loss deixou o cargo após conversa com a diretoria. Ele volta a ser auxiliar. Como técnico, foram 25 jogos: 10 vitórias, cinco empates e 10 derrotas. A decisão da diretoria foi comunicada por Duílio Monteiro Alves, diretor de futebol do clube de Parque São Jorge.

A segunda vitória seguida impulsiona o Ceará na tabela – ainda está no Z-4, é verdade, mas chega aos 23 pontos e fica perto do bolo que está fora da zona de rebaixamento. O Corinthians, por sua vez, continua sem evoluir: com 30 pontos, vê o G-6 cada vez mais longe. Para piorar a situação corintiana, a equipe tem dois compromissos difíceis na sequência. No domingo (9), enfrenta o arquirrival Palmeiras no Allianz Parque. Enquanto o Alviverde está em ascensão, o Timão vive uma crise. No meio da semana, irá ao Rio de Janeiro para enfrentar o Flamengo por uma das semifinais da Copa do Brasil. O novo treinador terá a vantagem de estar isento, caso a equipe seja derrotada pelos dois adversários poderosos. Porém, em caso de vitória, o Timão pode ganhar novo ânimo. Já o Ceará enfrenta o América-MG em Belo Horizonte no domingo (9) e tenta manter a boa fase para siar do Z4.

Botafogo e Cruzeiro ficam no empate

Não foi bom para ninguém. Mas foi pior para o Botafogo. O time alvinegro pressionou o Cruzeiro no segundo tempo, mandou bola na trave e esbarrou nas defesas milagrosas de Fábio. Acabou empatando por 1 a 1 no Estádio Nilton Santos com a Raposa e ficando ainda próximo da briga contra o rebaixamento (três pontos distante de Sport e Ceará). Já o time mineiro chegou ao segundo empate seguido e continua sem conseguir se aproximar dos primeiros lugares.

Os 45 minutos iniciais foram marcados pelos gols e também o clima quente. O Botafogo começou pressionando e aproveitando os erros defensivos do Cruzeiro. Chegou ao gol após Luiz Fernando recebe passe na área e tirar a marcação com o domínio no peito. O Cruzeiro pouco conseguia chegar com perigo, mas conseguiu o empate em um lance de bola parada. Edilson bateu com efeito e enganou Saulo em uma cobrança de longe. No fim da etapa, os ânimos se acirraram, com os jogadores se estranhando em campo em disputas de bola. Três amarelos foram mostrados nos minutos finais. Responsável por classificar o Cruzeiro às semifinais da Copa do Brasil, após defender três pênaltis contra o Santos, Fábio outra vez foi destaque pela Raposa. Salvou em três lances cara a cara no segundo tempo e acabou impedindo mais uma derrota da equipe no Brasileiro.

Com apenas uma vitória nos últimos quatro jogos como mandante no Brasileiro, o Botafogo foi vaiado pelos torcedores na saída de campo após perder mais pontos no Engenhão. A equipe se manteve próxima da luta contra o rebaixamento e continua pressionada por bons resultados. O Fogão tem pela frente o clássico contra o Fluminense no domingo (9) no Maracanã, enquanto o Cruzeiro joga contra o Sport no Recife, que está no Z4, no sábado (8).

No clássico nordestino, deu Bahia

Um jogo de etapas distintas na Fonte Nova. O primeiro tempo foi bem fraco tecnicamente e com poucas chances criadas para os dois lados. O intervalo serviu para chacoalhar ao menos o Bahia, que voltou de maneira intensa e bastante produtividade pelos lados do campo. O resultado veio logo aos sete minutos da etapa final, com Gilberto, após linda jogada de Gregore. Para o Sport, uma quarta-feira (5) para esquecer; a equipe pernambucana não teve poder de reação e viu Tiago, aos 39, ampliar o placar para o Bahia. O Tricolor pernambucano tenta se recuperar na próxima rodada, quando enfrenta o Cruzeiro no Recife, no sábado (8). Já o Bahia vai a São Paulo, no mesmo dia, enfrentar o Tricolor paulista, um dos líderes da competição, no Estádio do Morumbi.

Empate no jogo dos desesperados

No duelo do Z-4, um ponto para cada lado. Paraná e Chapecoense ficaram no 1 a 1 na noite de quarta-feira (5), na Vila Capanema, pela 23ª rodada do Campeonato Brasileiro. O Tricolor saiu na frente com Rafael Grampola, que marcou no primeiro tempo, mas cedeu o empate no final do jogo, com um golaço de falta marcado por Diego Torres. Com o resultado, o Paraná foi a 16 pontos na tabela e segue na lanterna. Agora, são seis pontos de distância para a própria Chapecoense. O Verdão também continua na penúltima colocação, agora com 22 pontos. O Paraná volta a campo contra o Santos, no próximo domingo (9), mais uma vez na Vila Capanema. A Chapecoense vai até o Rio de Janeiro enfrentar o Flamengo, no Maracanã, no sábado (8). Os jogos são válidos pela 24ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro.