Traficantes de pessoas recrutam menores para transportar imigrantes, diz relatório

Adolescentes americanos e mexicanos são contratados por coiotes para tentar burlar agentes do Border Patrol com uso de tecnologia, como GPS e programas modernos de localização

0
482
As autoridades alertam que esse é um ‘trabalho’ extremamente perigoso, já que os criminosos não se importam com a vida dos imigrantes, tampouco com quem trabalha para eles (Foto: CBP)
As autoridades alertam que esse é um ‘trabalho’ extremamente perigoso, já que os criminosos não se importam com a vida dos imigrantes, tampouco com quem trabalha para eles (Foto: CBP)

Um relatório do Homeland Security obtido pela Reuters aponta que um em cada quatro motoristas presos transportando imigrantes indocumentados na fronteira são menores de idade.

De acordo com o relatório, traficantes de pessoas têm recrutado esses jovens em cidades fronteiriças tanto nos Estados Unidos quanto no México. Segundo advogados e ativistas da causa imigratória, os adolescentes têm conhecimento de novas tecnologias, como ferramentas modernas de localização. Além disso, quando são presos não enfrentam as mesmas penalidades que os maiores de idade.

Esses jovens – que ganham centenas de dólares por imigrante transportado – são chamados de ‘Ubers’ e são treinados pelos coiotes para fazer o serviço. Eles usam telefones celulares e até mesmo drones para localizar agentes do Border Patrol.

As autoridades alertam que esse é um ‘trabalho’ extremamente perigoso, já que os criminosos não se importam com a vida dos imigrantes, tampouco com quem trabalha para eles. “Esses motoristas adolescentes tendem a acelerar quando os agentes pedem para parar o carro. Temos registros de diversos acidentes com mortes. Além disso, se algo sair errado e eles forem detidos, ninguém se importa com eles”, disse um agente do Border Patrol. “Esses meninos são presas fáceis e estão sendo usados pelos traficantes”.