Advogados responsáveis por fraudes imigratórias sofrem mais que imigrantes ilegais

0
900

Advogados que patrocinaram fraudes foram condenados à prisão

Um legislador republicano acusou esta semana as autoridades imigratórias de não se esforçarem o suficiente para deportar os estrangeiros que obtiveram benefícios imigratórios através de fraudes, apesar de os advogados e gestores responsáveis pelas solicitações, de maneira fraudulenta, já terem sido condenados.

O deputado republicano Elton Gallegly, presidente da subcomissão para imigração da câmara baixa, disse durante uma audiência que o Departamento de Segurança Nacional (DHS na sigla em inglês) “algumas vezes revogou milhares de benefícios. Em outros casos, parece ter feito pouco, mesmo quando os advogados foram condenados anos atrás e o DHS se vangloriou de ter desmantelado a fraude”.

Gallegly mencionou que até agora não foi deportado nenhum dos imigrantes vinculados às 1.100 solicitações de asilo que incluíram informações falsas, pelas quais o advogado Patrick Tzeuton foi condenado em 2009.

Nicole Navas, porta-voz do Gabinete de Imigração e Alfândega (ICE na sigla em inglês), disse à AP que não podia corroborar imediatamente a afirmação de Gallegly porque precisa dos nomes completos de cada pessoa para realizar a busca na base de dados.

Gallegly também se referiu ao advogado Earl David, condenado a 25 anos de prisão por efetuar pelo menos 29.000 solicitações fraudulentas de benefícios imigratórios entre 1996 e 2009.

“Claramente, a resposta do DHS no caso David será a prova de fogo de seu compromisso em perseguir imigrantes que obtém benefícios através da fraude, porque enganam nosso serviço imigratório, que é o mais generoso do mundo”, disse Gallegly.

Sarah Kendall, diretora para a detecção de fraude do Escritório de Imigração e Cidadania (USCIS na sigla em inglês), respondeu durante a audiência que das 29.000 solicitações apresentadas por David que foram aprobadas, já foram revisados 2.000 casos e 203 foram negadas ou revogadas no futuro próximo.

Não disse quantos processos de deportação foram iniciados nem quantos imigrantes foram deportados por sua relação com o caso David.

A porta-voz Navas disse à AP que não podia comentar quantos processos de deportação foram iniciados ou quantos imigrantes foram deportados em relação ao caso David, porque não dispões dos nomes completos de cada pessoa para realizar a busca na base de dados do órgão do governo.

Kendall afirmou que seu gabinete começará a revisar outros tipos de solicitações apresentadas por David, como extensões de status não imigrante, solicitações de status imigratório por família e substituição de cartões de residência permanente – que provavelmente aumente a quantidade de petições apresentadas pelo escritório deste advogado e terminaram sendo aprovadas.

A deputada democrata Zoe Logfren qualificou como “significativo” a fraude imigratória que ocorre atualmente, mas lembrou que o USCIS concede em média seis milhões de benefícios imigratórios por ano, em sua maioria para indivíduos e patrocinadores que os solicitam de maneira legítima.

“Embora alguns dos imigrantes sejam cúmplices da fraude, alguns são vítimas sem saber”, disse Logfren.