Afogamento de menina em Broward reforça necessidade de cuidados

0
721

Igreja Católica quer promover curso gratuito para evitar tais acidentes, que representam a maior causa de mortes entre as crianças na Flórida

Mais de 3.500 crianças perdem a vida todos os anos nos Estados Unidos por afogamento e na Flórida esta é a principal causa de mortes entre aqueles que têm até cinco anos de idade. Para evitar que outras famílias passem pelo drama vivido em 2009 pelos parentes do brasileirinho Gabriel Campos e, recentemente, de Adielana Ariel Maldonado, a Comunidade Católica de Margate vai lançar, nas dependências da Igreja, um programa para ensinar técnicas de primeiros-socorros (CPR) e dar dicas de como fazer para prevenir tais acidentes.

A pequena Adielana, com dois anos incompletos, perdeu sua vida no último dia 14 de agosto, quando morreu afogada em sua casa de Broward. A família frequenta a Igreja St. Vincent e a comunidade também está colaborando com a arrecadação de dinheiro para que a menina possa ser enterrada – o custo para o serviço funerário está em torno de sete mil dólares.

Para colaborar com a família de Adielana, os interessados podem depositar qualquer quantia na conta do pai da garota, Rodrigo A. Maldonado (Bank of America # 229 030 971 498). “O casal tem outras quatro crianças e a mãe está em repouso pós-cirúrgico, completamente devastados”, conta Renee Martinez, da Comunidade Nossa Senhora Aparecida.

É dela também a ideia de promover o curso de primeiros-socorros. “Muitas vezes esse conhecimento evita a perda de vidas, especialmente de crianças”, explica. Ela está tentando junto a órgãos públicos e empresas privadas que o programa seja oferecido gratuitamente à comunidade através do PAIS (Projeto de Assistência ao Imigrante – Scalabrini).

Os brasileiros viveram de perto o mesmo drama dos Maldonados, quando Gabriel Campos sofreu acidente semelhante, em 2008, na casa dos pais, em Coconut Creek. Depois de um ano em coma, o garotinho não resisitu aos problemas de saúde e faleceu no ano passado. “Este tipo de acidente pode acontecer com qualquer família, mas há maneiras de evitá-lo. Jamais deixe uma criança desacompanhada numa casa que tenha piscina e instale cercas de proteção e alarme nas portas”, alerta o sheriff de Broward, Al Lamberti, que mantém no site da corporação (www.sheriff.org) uma lista de providências e recomendações sobre o assunto.