Agentes do ICE seguem indocumentados até suas casas na Califórnia

0
844

Ativistas denunciam nova modalidade de batidas no norte da Califórnia

Antonia Chávez, de 40 anos, teve seu filho deportado no último mês de outubro e na semana passada seu marido, Rodrigo Arenas Ventura, foi deportado. Mas não é só isto que os dois homens têm em comum: ambos haviam ido à corte superior do condado de Kern em Bakersfield para pagar uma multa de trânsito pouco antes de sua expulsão do país.

“Rodrigo teve corte na segunda-feira (3) da semana passada”, disse Antonia Chávez, sua esposa, enquanto a filhinha de ambos, de apenas 3 meses, chora em seus braços. “Na quinta-feira (6), às 8 da manhã, ele voltava depois de deixar o menino na escola e ao regressar não lhe deram mais tempo, o colocaram no carro e o levaram. Não sei se o estavam esperando, mas foi o que me pareceu”.

O filho de Antonia, Héctor Esquivel Chávez, de 19 anos, havia sido preso pelo ICE no próprio corredor da mesma corte em outubro passado, quando se apresentou, assim como seu padrastro Rodrigo faria depois, ao pagar uma multa de tráfego.

Naquele momento, a União de Liberdades Civis do Sul da Califórnia (ACLU) denunciou este e outros casos similares à opinião pública.

A Polícia de Imigração (ICE), por sua vez, respondeu com uma carta indicando que deixaria de realizar “operações de remoção” neste tribunal com a exceção dos “casos que assim o exigirem”.

“O ICE se comprometeu a não prender pessoas no tribunal e, no entanto, agora já temos dois casos denunciados nos quais se apresentaram para buscar pessoas que foram a esta corte para pagar uma multa de trânsito”, disse Michael Kaufman, advogado da ACLU. “É importante que a comunidade saiba que esta é a prática porque o que conseguem com isto é prejudicar a segurança pública e evitar que as pessoas cumpram suas obrigações legais”.

Outro caso similar

Outro caso similar foi o de Luciano Sandoval, que também foi detido em sua casa dois dias depois de ir à corte de Bakersfield para pagar uma multa, na quarta-feira passada (5).
“Passaram para pegá-lo quando saía para trabalhar. Pararam o carro onde ele estava com outros companheiros de trabalho e somente levaram ele”, disse sua esposa Angélica Gómez em entrevista.

Tanto Sandoval como Arenas Ventura haviam ido pagar uma multa por dirigir sem carteira. Ambos haviam sido respectivamente detidos em batidas rodoviárias que se realizam na zona.

O casal tem seis filhos, em idades entre 18 anos e 1 ano de idade. Neste momento, Sandoval está livre com uma tornozeleira eletrônica. O casal trabalha nos campos de plantação de uva. Ironicamente, disse sua esposa, Sandoval se preocupava sempre em pagar todas suas multas “Às vezes por não pagar um ticket, e já tinha tido três por dirigir sem licença, deixávamos de comprar coisas para a casa”.

Lori Haley, porta-voz do ICE disse que “os casos denunciados estão sendo avaliados” e acrescentou que “o ICE se foca na aplicação efetiva e razoável da lei que dá prioridade aos indivíduos que representam o maior risco para a segurança pública e a segurança da fronteira”.