Ainda no Boxe

0
1527

O ex-boxeador brasileiro Acelino Popó Freitas será chamado para depor na Polícia Civil da Bahia, como parte das investigações de um assassinato ocorrido no início de setembro. Segundo a delegada Francineide Moura, que está cuidando do caso, o pugilista foi apontado por uma testemunha como o mandante do crime. Através de sua assessoria, Popó garantiu que não teve envolvimento com o fato.
Tudo aconteceu no dia 9, quando Moisés Magalhães Pinheiro, de 28 anos, foi encontrado morto em Salvador. Jonatas dos Santos Dantas, de 22 anos, afirma que sobreviveu à ação do matador e afirmou que Popó, ex-campeão mundial de boxe, foi o mandante do assassinato. A delegada disse apenas que quer ouvir o depoimento de Popó e que ele não é considerado suspeito. Segundo ela, Pinheiro já havia sido preso por roubo, e Dantas tem passagem pela polícia por receptação de carro roubado.

O sobrevivente disse à polícia que o motivo do crime seria o relacionamento que ele teve com uma sobrinha do ex-pugilista dias antes do crime. No depoimento ele afirma que passou cinco dias com a jovem, menor de idade, em uma casa em Itapuã, mas Popó foi buscá-la e disse que mandaria a polícia atrás dele. Popó confirmou que o ex-pugilista esteve na casa em Itapuã para buscar a sobrinha, mas assegura que ele não é responsável pelo crime que aconteceu depois e que não teria feito ameaças ao rapaz.