Alta do dólar deve afetar turistas brasileiros

0
587

Da Redação com Estadão – A alta do dólar vista nos últimos dias, a moeda chegou a ser cotada a $2,25, segundo site do Banco Central Brasileiro, na tarde de quinta-feira, deve afetar o poder de compra dos brasileiros que aproveitarem as férias de verão para viajar à Miami. O valor do dólar vem subindo diariamente, segundo os especialistas, talvez diante do nervosismo global com os sinais de que o programa de estímulo monetário dos Estados Unidos pode estar perto do fim. A atuação do mercado levou o Banco Central brasileiro a fazer um leilão cambial, mas não conseguiu grandes avanços.

Se em junho de 2012 o turista tivesse reservado R$ 5 mil para compra de dólar, conseguiria adquirir $2.403, considerando a cotação para o dólar turismo na época que era de R$ 2,08 (lembre-se que a cotação do dólar de turismo sempre é um pouco maior do que a do dólar comercial). Já para este verão 2013, as mudanças devem pesar no bolso brasileiro, os mesmos R$ 5 mil comprariam quase $200 a menos. No total seriam $2.222. A cotação é de R$ 2,25.

Se for considerada a cotação de junho de 2011, a perda do poder de consumo é ainda maior. Naquele ano, o dólar turismo era cotado a R$ 1,710, o que significa que o turista compraria, com os mesmos R$ 5 mil, cerca de $2.923. Ou seja, $500 dólar a mais.

O aumento deve afetar diretamente todos os negócios do setor de turismo, de agência de venda de passagens, a locação de carros e companhias aéreas. Um levantamento realizado recentemente pelo comparador de viagens Mundi, mostra que houve queda de 25,15% na procura por passagens aéreas do Brasil para cidades norte-americanas. Por outro lado, os negócios devem melhorar para os destinos turísticos na América do Sul, o aumento foi de 42,2% só nos primeiros dias de junho. No mesmo período, as buscas pelo Nordeste aumentaram 26,4%.