Arpaio está no banco dos réus

0
537

Sheriff antiimigrante do Arizona é acusado de discriminação

O governo dos Estados Unidos acusou o responsável pela delegacia de Maricopa (Arizona), Joe Arpaio, de não colaborar com uma investigação sobre supostos casos de discriminação naquele condado. Ao que tudo indica, o sheriff antiimigrante vai se sentar no banco dos réus, aos 78 anos de idade.

O Departamento de Justiça recebeu denúncias de maus-tratos e de quebra sistemática dos direitos humanos por integrantes daquela corporação e decidiu, em março do ano passado, abrir um processo investigatório. No entanto, Arpaio não atendeu aos pedidos de acesso aos relatórios e documentos em sua delegacia, bem como às celas onde são levados os detentos. “O governo, através do Departamento de Justiça, apresentou a demanda depois de esgotar todas as vias para obter as informações”, assinalou o comunicado oficial.

A base da acusação está na lei de Direitos Civis de 1964, que proíbe a discriminação por qualquer organismo público. “As ações da polícia no Condado de Maricopa forçaram uma atitude mais enérgica do governo, que precisou recorrer a um instrumento jurídico para ter acesso às instalações e documentos”, disse Thomas E. Perez, da Divisão de Direitos Civis do Departamento. As autoridades lamentam a falta de cooperação de Arpaio e comentaram que tal atitude não tem precedentes, pelo menos nos últimos 30 anos.

O sheriff desmente as acusações. Segundo ele, os advogados que trabalham em sua defesa informaram ao governo, em uma reunião em Washington DC, que estavam dispostos a colaborar. “Na verdade eles estiveram na minha delegacia e analisaram milhares de documentos, conversaram com policiais e entraram nas celas”, afirmou Arpaio.