Artista brasileiro transforma moedas em arte

0
590

Fotos do trabalho de Andre Levy se espalharam pelo mundo e agora ele quer fazer primeira exposição

Joselina Reis

Quando trocou o Brasil por Berlim, na Alemanha, há três anos, o designer brasileiro Andre Levy, 34 anos, se viu sozinho em um mundo novo. Na tentativa de se expressar para a nova comunidade que o cercava ele decidiu fazer algum tipo de arte e a primeira coisa que veio nas mãos foram as moedas do novo país. Ele disse que cada uma delas pareciam sozinhas, perdidas, assim como ele. Então, resolveu dar a elas uma identidade própria. As fotos do seu trabalho, até então apenas uma distração, foram parar em vários sites da internet no mundo e nas principais redes sociais.

Depois de toda a exposição online de seu trabalho, Levy quer agora expor as pinturas no “mundo real”. “Até agora poucas pessoas tiveram oportunidade de vê-las pessoalmente”, revela. Leia abaixo a entrevista com o artista paulista formado pela Faculdade de Belas Artes de São Paulo.

AcheiUSA: Como começou seu interesse pela arte em moedas?
Andre Levy: Acho que dois fatores foram fundamentais e ambos tem a ver com minha mudança para fora do Brasil. O primeiro foi que no início, sem falar a língua local e pela primeira vez experimentando a vida numa língua estrangeira, passei a procurar instintivamente formas de me expressar. Isso se somou ao novo olhar com que passei a enxergar coisas simples do dia-a-dia, como o dinheiro que manuseava. Passei a ver as moedas como pequenas esculturas massificadas, cada uma gritando por uma identidade própria (talvez como eu próprio me sentia, apenas mais um estrangeiro numa cidade extremamente internacional). Os personagens que passei a pintar, figuras do universo pop, me representam de certa forma. A ligação afetiva que tenho com essas figuras é algo que talvez nunca experimentarei com relação aos rostos que originalmente estampam essas moedas. E é esse aspecto, na minha opinião, que tornou o projeto tão popular na internet.

 AC: Onde suas obras já foram expostas?
AL: Até o momento toda a visibilidade obtida pelo projeto se deu na Internet. O projeto nasceu no Instagram, e foi se expandindo para outras redes sociais e ganhando mais espaço entre meu trabalho de design, ilustrador e sticker art. Quando alguns blogs especializados passaram a divulgar as moedas, o alcance do projeto cresceu muito mais rápido do que eu pudesse imaginar.

AC: Quais as obras mais curiosas que você já fez?
AL: Minhas favoritas são as que requerem menos intervenção possível de minha parte. A moeda que fiz de Karl Lagerfeld, por exemplo, tem apenas duas cores, e o rosto original de Thomas Jefferson (que estampa a moeda de $1 dólar) serviu de base perfeita para o retratado.

AC: Você já ganhou algum prêmio?
AL: Com esse projeto por enquanto só ganhei visibilidade. O dime que pintei com o Homem Sereia (personagem do desenho Bob Esponja) ficou razoavelmente famoso na internet antes mesmo das pessoas conhecerem o projeto, pois foi repostada por alguns blogs sem os créditos e acabou ganhando até homenagens no Instagram. Mas é um projeto em andamento e que ainda tem muita história pra contar.

Todas as moedas já pintadas pelo artista podem ser vista em seu website http://topbtm.tumblr.com, mas o projeto está também disponível no Facebook (facebook.com/talesyoulose).