Ativistas cautelosos com nova promessa de Obama de reforma imigratória em 2013

0
372

Todos concordam que para legalizar os indocumentados democratas e republicanos devem trabalhar juntos

Barack Obama, em busca da reeleição, disse que empurrará uma reforma imigratória no primeiro ano de seu segundo mandato. A promessa é similar à outra feita em 2008 e que lhe permitiu conquistar o voto latino para chegar à Casa Branca.

Posso prometer que vou tentar fazer isto no primeiro ano de meu segundo quatriênio, disse o mandatário. Queria tentar este ano, mas o desafio que encaramos com relação à imigração é muito simples: temos a maior parte dos democratas preparada para votar a favor e não temos nenhum republicano que esteja disposto, acrescentou.

A promessa de 2008 não chegou no tempo anunciado por Obama durante a campanha anterior. As guerras no Iraque e no Afeganistão, a crise financeira, o debate da reforma da saúde, entre outros temas de interesse nacional, postergaram o compromisso. E, mesmo contando com a maioria dos 218 votos na Câmara de Deputados, nem todos os democratas apoiaram o debate porque nem todos foram eleitos por votantes que respaldam a legalização de indocumentados.

O mesmo ocorreu no Senado. A pesar de contar com 57 votos a favor mais o respaldo das duas cadeiras independentes (precisavam de 60 apoios para conseguir a reforma), entre quatro e oito não apoiaram o presidente no esforço e o projeto apenas surgiu na agenda porque ninguém pôde garantir sua aprovação.

Ao abordar o novo compromisso, explicou que a situação atual é ainda pior. Temos agora um candidato republicano que disse ser as leis estilo Arizona um modelo para todo o país. E estas leis potencialmente permitem que uma pessoa seja detida e tenha de mostrar seus papéis de cidadania baseado em uma suposição.

Também assegurou que o tema continua sendo sua “paixão” e reiterou seu apoio ao DREAM Act, iniciativa que, caso fosse aprovada, daria residência permanente a milhares de jovens indocumentados que entraram nos Estados Unidos como crianças, que foram criados como americanos, se veem como tais e querem servir nosso país. É uma vergonha que não possamos resolver isto, afirmou. Somos uma nação de leis, mas também de imigrantes, acrescentou.

As reações não se fizeram esperar. Carlos Pereira, diretor do Centro de Orientação ao Imigrante (CODI) em Miami disse que, embora a nova promessa trata-se de uma estratégia muito delicada, é preciso levar em conta o que estão revelando as pesquisas. Obama tem o apoio de mais de 70% dos hispânicos neste momento em comparação a Mitt Romney, que tem cerca de 30% de aceitação dos latinos.

Pereira acrescentou que preferiria ouvi o mandatário nos dizer que lutará e trabalhará para modificar a lei e que buscará uma forma de legalizar os mais de 12 milhões de indocumentados, que nos prometa algo novo, algo que não pôde cumprir, mas olhando a partir de outro ângulo, ao ser reeleito já não tená tanta pressão e poderá passar para a história como o primeiro democrata a conseguir isto. Só Reagan tem este troféu em 1986.

Creio que ele vai conseguir, vai sair com este troféu gigantesco como é a reforma imigratória. E, se os democratas perderme o Congresso, recordemos que o ex-presidente Bill Clinton conseguiu muitas vitórias com ambas câmaras nas mãos dos republicanos, observou.