Histórico

Autoridades dos EUA desviam avião de rota após suposta ameaça

As investigações iniciaram logo após o pouso.

Um vôo da American Airlines procedente do Reino Unido com destino aos Estados Unidos foi desviado nesta sexta-feira para a cidade americana de Bangor (Maine, noroeste dos EUA), depois que as autoridades tomaram conhecimento de uma ameaça à segurança, informou o FBI (polícia federal dos EUA).

Investigadores começaram, logo após o pouso, a interrogar todos os passageiros do avião, que originalmente vinha de Manchester para Chicago com 179 pessoas a bordo.

O Departamento de Segurança no Transporte (TSA) “recebeu um informe de ameaça com o avião ainda em rota”, explicou o porta-voz do FBI, Richard Kolko.

“Devido ao grau de ameaça `terrorista`, o TSA e outras autoridades federais tomaram a decisão prudente de garantir a segurança dos passageiros e da tripulação”, acrescentou Kolko.

John Hotard, porta-voz da American Airlines, disse que “o aparelho, um Boeing 767, levava 167 passageiros e 12 tripulantes”.

A segurança foi reforçada em aeroportos do mundo inteiro depois do dia 10 de agosto, quando a polícia britânica afirmou ter frustrado um suposto plano terrorista que explodiria aviões comerciais em vôos entre EUA e Reino Unido.

Irlanda

Um avião da companhia aérea irlandesa Aer Lingus procedente de Nova York foi detido no aeroporto de Shannon, oeste da Irlanda, devido a um alerta de segurança, informaram fontes policiais, nesta sexta-feira.

Após revistar o avião e interrogar seus 239 passageiros, a Garda (polícia irlandesa) suspendeu o alerta, causado por uma chamada telefônica que dizia haver explosivos a bordo. Não há informações sobre a investigação e aparentemente foi um alarme falso.

O avião, que aterrissou normalmente em Shannon às 3h45 , foi esvaziado imediatamente.

Um porta-voz da Aer Lingus confirmou à emissora RTE que “houve um alerta em um dos vôos entre Nova York e Shannon, depois que a Garda recebeu um telefonema na madrugada”.

A fonte disse que a Garda recebeu o telefonema por volta de meia-noite e que a aeronave aterrissou sem problemas e como previsto em Shannon.

Eugene Pratt, porta-voz do aeroporto de Shannon, disse à rede BBC que o telefonema que causou o alerta foi feito à uma delegacia em Dublin.

“Foi simplesmente uma chamada telefônica que se referia ao vôo pelo número e mencionava alguns explosivos potentes”, disse.

Dick Butler, chefe de operações da Aer Lingus, disse que o telefonema mencionava um “explosivo líquido” a bordo.