Bachmann abandona a disputa presidencial

0
783

Questão agora é saber qual candidato apoiará a ex-favorita dos seguidores do Tea Party

Nesta quarta-feira, os republicanos perderam mais um candidato em sua campanha para reconquistar a presidência dos Estados Unidos. Ou melhor dizendo, a única mulher que ainda estava na disputa, Michelle Bachmann, anunciou a desistência. Na noite passada (terça-feira), o povo de Iowa falou claramente, então decidi sair da disputa, disse a. Bachmann numa conferência de imprensa em West Des Moines, Iowa.

Em seus comentários, ela continuou sua crítica às políticas do presidente, particularmente seu programa de saúde e o projeto de lei Dodd-Frank que exige mais supervisão ao setor financeiro.

Continuarei a luta pra derrotar a agenda socialista do presidente, disse.

Ela, no entanto, não revelou se apoiará um de seus antigos rivais para a indicação republicana ou se concorrerá à reeleição para o Congresso. Ela havia suspendido sua campanha para a Câmara de Deputados depois de ter anunciado sua aspiração presidencial e pode ter perdido terreno para conquistar o Sexto Distrito Congressional em Minnesota.

Sua porta-voz, Alice Stewart, comentou que ela chegou a esta conclusão nesta manhã, e ainda não decidiu sobre quais medidas tomar, mas não está descartando seu apoio a um dos concorrentes.

Embora Michelle Bachmann não tivesse muito dinheiro para competir aggressivamente na veiculação de publicidade em Iowa, a assessora disse que a campanha estava financeiramente em total condição para continuar, notando que a candidata tinha uma série eventos agendados na Carolina do Sul e pretendia participatar dos debates no final de semana em New Hampshire.

Santorum pode ser o beneficiado Alice Stewart também rejeitou as sugestões de que a decisão de Bachmann foi influenciada pelos recentes telelefonemas de Sarah Palin e líderes evangélicos para ela desisitir da disputa e juntar forças com conservadores diferentes sociais.

De qualquer forma, o sucesso de Rick Santorum mostrou que a comunidade da fé se aglutinou em torno de uma pessoa, admitiu a porta-voz.

Dos seis candidatos que competiam seriamente na prévia de Iowa, Michelle Bachmann chegou em último, conquistando apenas 5 por cento dos votos. Ela havia sinalizado que permaneceria na disputa durante um discurso para seus apoaidores na noite de terça-feira: Há muitos capítulos a serem escritos em nosso caminho para a indicação.

Este caminho, segundo Michelle Bachmann, passaria pela Carolina do Sul, para onde ela pretendia ir diretamente depois da prévia de Iowa na esperança de que sua mensagem de conservadorismo social e o populismo infundido pelo Tea Party pudessem ressoar.

A ascensão e a queda da campanha de Michelle Bachmann é similar ao que ocorreu com outros republicanos que querem constituir-se como alternativas a Mitt Romney. Sua paixão e vigorosos desempenhos nos debates a ajudaram a ganhar a enquete em Iowa no último verão, que acabou sendo encoberta pela entrada do governador Rick Perry na disputa. Perry, que terminou em quinto, disse na terça-feira à noite que retornaria ao Texas para avaliar sua candidatura, mas aparentemente ele não está desistindo, pelo menos por ora.